abr 11, 2018

Como fazer escolhas seguras?

Opa, tudo bom? Espero que sim!

Hoje eu venho aqui para falar de um poder pouco usado pelas mulheres e que podem sim ajudar a obter uma vida com mais escolhas boas e uma vida mais tranquila. Se você quer saber como fazer escolhas seguras, fique aqui e descubra!

Já percebeu que, no geral, nós temos tomado decisões baseadas principalmente pela razão? Por não querermos arriscar e alcançar uma segurança na vida, acabamos por deixar de lado a intuição e o que o coração sente e nos diz. Mas porque isso? O que é que tem de tomar uma decisão baseado também na intuição, no coração? Vou tentar ilustrar para você. Pensa numa pessoa qualquer. Agora pensa que esta pessoa tende a fazer escolhas baseadas na intuição. Como você imagina a personalidade desta pessoa? Com certeza você deve ter atribuído características como impulsividade, distração, irresponsabilidade e por aí vai. É o que enxergamos ao atribuir à intuição a nossa própria imagem!

Mas e aí, como fazer escolhas seguras?

Ficou na ideia da maioria que fazer escolhas na base da intuição é a certeza de que entrará num caminho sem muita clareza e baseada na impulsividade. Acontece que MUITO do que percebermos e sentimos é real! A gente é carne e osso! Não podemos pensar que a vida só pode ser vivida através da razão. É óbvio que precisamos dela para muitas coisas. A questão é que o que sentimos tem valor tão importante quanto a racionalidade, pois será nos momentos mais intensos que seus sentimentos reais irão te fazer crescer. E se não houver nenhum sentimento bom envolvido, pode ter certeza que a coisa vai desandar!

Por mais que vivamos em um mundo dito como mais racional e lógico, não podemos deixar de lado o que nos move de verdade: nossos sentimentos. Mas você pode me perguntar: mas e a vida com segurança? Como posso arriscar? Como fazer escolhas seguras?

Moça(o), é o seguinte: Ninguém tem bola de cristal para ver o que podemos fazer para alcançar um futuro determinado. A gente consegue só ter uma ideia, uma suposição do que veremos no futuro, mas ele SEMPRE será incerto. Isso vai causar insegurança! Em diferentes níveis, claro, mas vai. Pode ter certeza. Então, esta ideia de fazer escolhas seguras e vida com poucos riscos é legal, mas vai até um certo ponto.

No final, sua intuição pode fazer muito mais por você se tiver um espaço justo aí dentro de você.

Tente combinar a razão e a emoção e verá que suas escolhas serão bem mais prazerosas de viver. Não digo que não serão difíceis, mas com certeza você terá mais plenitude para viver cada momento seu. Você verá também que não existe escolhas seguras, mas sim escolhas adequadas a você no momento presente. Vamos dar espaço à intuição? Vocês têm esta força MARAVILHOSA e precisa usar!

Se você gostou do texto, compartilhe com quem achar importante! Assim, você estará ajudando estas pessoas a realizarem seus sonhos através do empreendedorismo. Se tiver mais alguma dica, crítica ou elogio, comente aqui embaixo! Terei o prazer em ler.

Um beijo, tchau!

 

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

abr 4, 2018

O que você acredita, tem feito bem para você?

Opa! Tudo bom?

Durante as nossas vidas, temos recebido e absorvido muitas informações que nos levaram a fazer escolhas. A gente tem um monte de clichês na nossa mente que nos leva a ter um certo comportamento diante do mundo.

Acontece que estes clichês podem ser um obstáculo na hora de encarar a vida.  Estou falando de crenças limitantes. Hoje eu quero perguntar para você: O que você acredita, tem feito bem para você?

A gente vê e ouve muito por aí sobre crenças limitantes. As pessoas começaram a perceber, após algumas observações, que o que acreditamos influencia no nosso comportamento em relação ao mundo. Não quer dizer que isso seja bom ou ruim, mas que só acontece. A questão é que muitas destas crenças são baseadas em verdades absolutas, e neste mundo não existe uma verdade absoluta. A realidade é mutável e nós a observamos de acordo com o que acreditamos.

O que você acredita, tem feito bem para você? - #elasonhaelafaz

Em paz com as nossas crenças! – #elasonhaelafaz

Para saber se o que você acredita tem feito bem para você, vamos primeiro identificar crenças baseadas em verdades absolutas. Já ouviu de algum familiar ou pessoa próxima que “no Brasil, nada dá certo” ou que “é impossível ser feliz sozinho”? São crenças baseadas na verdade absoluta de que tudo dá errado no Brasil, ou que só podemos ser felizes acompanhados. Acontece que estas frases são absorvidas pelo inconsciente e moldam a forma que nos comportamos, mesmo sabendo que há coisas no Brasil que dão certo ou que há pessoas felizes e que vivem sozinhas. Percebe? Nós conseguimos rebater estas crenças com um pensamento coerente e lógico, porque não podemos estabelecer verdades absolutas.

Então vou pedir para você uma coisa: Liste num papel todas as verdades absolutas que vêm na sua mente. Separando por tópicos (amor, família, trabalho, relacionamento).

Você fez isso? Ótimo. Agora olhe atentamente para estas verdades absolutas ou crenças limitantes. Percebe que muitas destas crenças podem ter te limitado em alguma parte da sua vida? Veja quanta negatividade há nestas frases. Isso não ajuda nada a quem está disposta a sair da sua zona de conforto e lutar por algo que há aí dentro de você.

Agora eu peço para que você escreva uma crença positiva substituindo as crenças antigas e que não seja baseada numa verdade absoluta. Se você escreveu algo como “Não é possível ser feliz sozinha”, substitua por “A felicidade se encontra somente em mim mesma”. Veja quanta coisa muda! Sabendo que a felicidade é encontrada somente em nós mesmos, podemos viver sozinhas ou acompanhadas, não importa como, mas com a felicidade dentro de nós.

Por isso, eu vim aqui compartilhar para vocês que lidaremos com muita coisa durante a carreira empreendedora, mas o que vai fazer a gente ter sucesso é a crença que temos em nós mesmas. São estas crenças que vão levar você a um comportamento empreendedor e mais seguro.

Espero muito que tenha gostado do texto! Compartilhe este conteúdo e ajude outras pessoas a realizarem seus sonhos através do empreendedorismo. Se você tem alguma dica, crítica ou elogio, comente aqui embaixo!

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

mar 28, 2018

Você é capaz de se desenvolver!

Opa! Olha eu aqui, mais uma vez. Tudo bom? Eu ainda estou montando conteúdo baseado nas dificuldades que as seguidoras do perfil @elasonhaelafaz me mandaram via Direct e agradeço muito pela confiança. Se você ainda não viu o último texto da série, clique aqui.

Algumas pessoas vieram falar comigo que sentem dificuldade em se desapegar do medo de fracasso e acabam nem tentando abrir seu empreendimento que sonhou. Outras pessoas reconhecem que há possibilidade de mudança interna e querem saber como fazer isso. Por isso, eu vim compartilhar com vocês um pouco da minha experiência e das pesquisas que venho fazendo durante a minha carreira no empreendedorismo. Vamos ao que interessa?

Você é capaz de se desenvolver! Começo este texto com esta frase, como uma forma de te levantar e que você fique curiosa também rs.

Muitas de nós crescemos na infância com o conceito estabelecido de que você “é assim” e que não mudará. Se você é boa em matemática, você é boa e ponto. Se você é ruim em química, não há como mudar. Isso se fortalece com a grande pressão em “ser alguém” e provar suas capacidades através de notas de provas, formas de agir etc.

Agora tente lembrar de uma pessoa que é incrível em algo. Será que esta pessoa teve facilidade em chegar a este patamar? Para aqueles que pensam como falei anteriormente, sim. Mas e se eu disser que o esforço, o treinamento e a motivação pode ter levado esta pessoa a ter este reconhecimento? Que esta pessoa também sentiu dificuldade em alguma coisa na sua vida, mas que não viu como o fim da linha e sim como uma etapa de aprendizado? Que não se preocupou com um julgamento de suas capacidades e foi buscar recursos para se desenvolver?

Bom, estas duas configurações mentais são mencionadas no conceito de Mindset (ou configuração mental), que a autora Carol Dweck publicou em seu livro chamado “Mindset: A nova psicologia do sucesso” e que vemos muito em grupos de conversas sobre empreendedorismo. O que foi percebido por Carol é que, o ambiente que nos rodeia tem grande influência no nosso desenvolvimento e que a forma que lidamos com este ambiente reflete em um desenvolvimento da nossa inteligência, da personalidade e da moral. Fatores genéticos também são fatores que incidem sobre nós, mas a nossa configuração mental é importante para o nosso crescimento.

Você é capaz de se desenvolver! - image by freepik

Você é capaz de se desenvolver! – image by freepik

O primeiro exemplo de lidar com o ambiente é chamado por ela de Mindset fixo. Essa configuração nos leva a pensar que ou somos inteligentes ou somos burros em algo, que teremos sucesso ou não, que ganharemos ou não em algo que, às vezes, nem tentamos realizar. Como temos um valor definido em relação à nossa inteligência, temos sempre que colocar à prova para sabermos se o que temos é saudável. Dessa forma, a pessoa com Mindset fixo se compara com outras pessoas, se julga e ouve o julgamos alheio e vê a vulnerabilidade como algo ameaçador.

Em contrapartida, temos o Mindset de crescimento. É esta configuração mental que nos leva a acreditar que um problema não nos limita e que é possível cultivar qualidades básicas através do esforço. Isso não quer dizer que estas pessoas acham que qualquer um pode ser qualquer coisa! Apenas sabem que, dentro deles, há capacidade de se desenvolver e crescer. Estas pessoas se importam pouco ou nada com comparações e julgamentos, por saber que cada pessoa tem uma história e pode seguir caminhos únicos no crescimento próprio.

Minsets fixed (fixo) e Mindset growth (de crescimento)

Percebe que a situação que identifica cada mindset é o obstáculo? Pois é. É nessa situação que vemos uma pessoa desistir ou adaptar sua rotina para se desenvolver e resolver o problema.

Mas aí você pode se perguntar: Como que eu consigo ter um mindset de crescimento?

As pessoas que possuem o mindset de crescimento em alguma questão da sua vida sabem se perceber. Elas conseguem saber o que as irrita, o que as fazem felizes e o que as motivam, por exemplo. Através desta percepção, analisam o ambiente e buscam recursos para desenvolver uma capacidade. A autopercepção é fundamental no autodesenvolvimento!

Agora que você sabe os dois tipos de mindsets, quero deixar um lembrete MUITO importante. As pessoas não possuem só o mindset de crescimento ou só o mindset fixo. Vivemos muitos paralelos (profissão, social, pessoal) e podemos ter configurações diferentes para cada parte da vida. Uma pessoa pode ter um mindset fixo na vida escolar e pode ter um mindset de crescimento na vida social, por exemplo. Isso é importante saber porque é bem provável que você crie uma cobrança excessiva sobre você mesma ao querer buscar o “ideal” de mindset para todas as vias da sua vida. O resultado de um mindset de crescimento vem com motivação, esforço, paixão, treinamento e tempo. Dependendo da situação, muito tempo.

A sacada do mindset é se perceber sempre, e buscar estabelecer, pouco a pouco, uma crença que não te limite, mas que te dê possibilidade de buscar recursos para se desenvolver e realizar feitos de grande importância pra você (os grandes e os pequenos também).

Este conteúdo foi realizado com muito carinho para que você consiga colocar seu sonho no papel e, principalmente, se mexer e fazer acontecer! Levará o tempo que for preciso e será muito rico para a sua vida.

Se você gostou do texto, compartilhe com todas as pessoas que achar importante. Assim você vai ajudar outras pessoas a realizarem seus sonhos. Comente aqui embaixo se quiser deixar mais dicas, críticas ou só um alô.

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

mar 19, 2018

Como tirar proveito de uma situação de escassez para empreender?

Opa, tudo bom? Quer saber como tirar proveito de uma situação de escassez para empreender? Cola comigo que eu tenho a dica especial para você. #elasonhaelafaz

Das muitas coisas que nos aproximam, a dor é uma das coisas que mais nos conectam. Pare para observar a seguinte cena: uma criança chorando por ter caído da sua mão o seu doce favorito. Dá ou não dá uma vontade de consolá-la, de ajudá-la de alguma forma? No exemplo mais simples, já podemos perceber que a dor nos aproxima. É algo humano, não tem como negar isso.

Estou mencionando a dor como forma de união porque além disso, a dor também é um caminho para empreender. Tendo um ponto de vista otimista e com posicionamento assertivo, é possível tirar proveito de uma situação de escassez para oferecer um serviço ou produto que atenda aquele nicho que vive a situação.

São nestes momentos em que a sua capacidade de se sensibilizar com o outro pode ser uma grande aliada para que novos modelos de negócios surjam e atendam de forma criativa um grupo que relata uma necessidade. Foi o caso de Adriana Barbosa, fundadora da Feira Preta, que viu há 16 anos uma ausência de visibilidade da indústria criativa relacionado à estética negra e se dispôs a criar um ambiente apropriado para que mais pessoas tenham acesso a este tipo de cultura. Como ela mesmo fala: “na escassez, se reinvente”.

Adriana Barbosa - foto tirada por Thays Bittar

Adriana Barbosa e o legado de reinventar na escassez! Foto: Thays Bittar

Isso diz muito também que não é só no ambiente oportuno e privilegiado que podemos criar e inventar. Em todo momento, existe a oportunidade para ser inventiva e oferecer para um nicho um serviço que realmente supra as necessidades e anseios, de forma inovadora. E assim, todo o resto vai progredindo quando você achar a paixão na sua criação, na sua invenção, na sua oportunidade de empreender (Quem já empreende sabe do que eu estou falando, não é mesmo?).

Recapitulando, vimos aqui que a dor do outro é uma forma de encontrarmos uma oportunidade de empreender. Mas para isso, temos que ter a sensibilidade de olhar com atenção para a dor do outro (outro no sentido de um grupo que compartilham uma mesma necessidade) e uma visão otimista e comportamento assertivo. Mas para quê isso, Patricia? Não adianta você ter a capacidade de sentir empatia e não ver uma forma de ajudar. Assim, você só afirma a dor do outro e não busca a melhora.

Com todo o ambiente pronto, é hora de deixar se manifestar toda a sua força criativa e inventiva! Se reinvente, crie, pense, sinta! Sua oportunidade de empreender está em próximo de você. Quando encontrá-la, você saberá, pois é ali que sua paixão em realizar está e o bichinho do empreendedorismo já te mordeu. Com isso, minha querida, você já tem uma chance bem grande para fazer diferença no mercado. Você sonhou, você faz!

É isso, meu povo. Espero muito que este conteúdo tenha ajudado. Se você gostou, compartilhe com aquelas ou aqueles que você acha importante. Será uma ótima forma de ajudar estas pessoas a realizar seus sonhos através do empreendedorismo. Se você tem algo a dizer sobre o texto, comente aqui embaixo. Terei o prazer em ler!

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

mar 16, 2018

O que é ser uma empreendedora?

Opa, meu povo! Tudo bem com vocês? Espero que sim! Para quem está aqui pela primeira vez, meu nome é Patricia Brazil e falo neste site sobre empreendedorismo e business. Tenho atuado no mundo empreendedor há mais de 8 anos e já falei de muita coisa por aqui. Mas o que tem dado dúvidas ainda em muita gente é algo lá do início. Então, vamos ao assunto!

Dentre alguns objetivos que tenho ao compartilhar conteúdo relevante, o de ajudar as pessoas que querem abrir seu próprio negócio é uma delas que guardo com carinho. Muitas mulheres se esforçam para transformar seus sonhos em realidade e é uma honra poder ajudar. Mas para começar, acho que é muito importante mostrar para essas pessoas, e pra você também, o que é ser empreendedora. Vamos lá?

Não que você vire uma outra pessoa ao se tornar empreendedora, mas sua vida vai mudar um pouco, porque você perceberá que nem tudo é como foi mostrado para a gente.

Para começar, preciso mostrar para você que a estabilidade é um momento bem curto na vida de uma empreendedora. As mudanças irão acontecer durante toda a sua carreira e lidar com esta oscilação faz parte de uma empreendedora. Se você ainda tem a crença de que levantar um empreendimento próprio significará ter mais estabilidade, preciso avisá-la que não será assim. Por vários motivos como concorrência, mercado, planejamento interno, novas tecnologias e tantos outros, o ambiente de negócios terá altos e baixos. O seu objetivo como líder do business é buscar ir o mais alto possível e conseguir mais impulso nos momentos baixos para continuar crescendo. Mas, de qualquer forma, as mudanças serão parte da sua trajetória e tudo bem ser assim para uma empreendedora.

O que é ser uma empreendedora? - image by freepik

Pode ser que você não consiga lidar naquele momento com uma reviravolta e fracassar com um passo a frente. Garanto que isso vai acontecer pelo menos uma vez com qualquer empreendedora! Lidar com este momento desistindo do seu sonho não é o que uma empreendedora faria. Ser empreendedora significa agarrar a única chance de continuar, dentre inúmeras oportunidades de desistir. Significa que um fracasso, vista por uma empreendedora, nada mais é do que a certeza de que o caminho não é aquele e que há sim um caminho para continuar, só não achou naquele instante. Perceba que aqui eu dei importância à percepção em relação ao problema, não ao problema em si. Essa é a sacada! Como você reagirá em relação ao desafio?

Ser empreendedora também significa perceber que você sempre estará em processo de aprendizagem. Quando despertamos a vontade de empreender, é porque vimos em nós um potencial para isso. Pode ser a habilidade com vendas, com planejamento financeiro, qualquer potencial que te ajude a começar. Mas, como uma empreendedora que será uma líder, precisamos estar em constante aprendizado profissional. É bom também termos aprendizado pessoal, porque, né, lidamos com pessoas! Então, o posto de “pessoa que sabe de tudo e não precisa de mais nada” não é, definitivamente, o posto de uma empreendedora e que bom que não é!

Bom, dentre várias coisas que definem o que é uma empreendedora, trouxe algumas que podem ajudar você. Espero muito que tenha gostado e se tiver mais dicas que definem o que é uma empreendedora, terei o prazer em ler. Deixe aqui nos comentários!

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri