mar 23, 2018

6 dicas importantes para você que está vivendo um momento de fracasso

Opa, tudo bom? Espero que sim! Depois de preparar um conteúdo falando sobre inseguranças e medos ao começar a empreender, assunto que as seguidoras do @elasonhaelafaz me mandaram, eu pretendo continuar. Se você ainda não viu o texto passado, clica neste link.

Mas agora, vamos falar de uma etapa difícil na vida das empreendedoras que conseguiram começar a dar os passos no empreendedorismo, mas por algum motivo, o seu negócio não se sustentou.

Vou compartilhar com você algumas dicas importantes para você que está vivendo um momento de fracasso ou se você quer ficar preparada para um momento assim. Vamos lá?

Reveja sua trajetória

Muita coisa aconteceu até o momento do fracasso. As coisas simplesmente “não dão certo”. Por isso, é importante que você consiga enxergar nesta situação um aprendizado que seja valioso para continuar empreendendo. A sua trajetória é cheia de ensinamentos que, na vivência, é bem difícil perceber e refletir. Tire um tempo para você analisar o que pode ser mudado e o que pode continuar.

Modere na cobrança interna!

É bem provável que você esteja se cobrando excessivamente por ter fracassado ou por estar perto disso. Bom, no mundo empreendedor, é preciso mesmo ter este impulso para realizar suas tarefas e ter responsabilidade no empreendimento, mas excessivamente só te paralisa. Se você se sentir à vontade, converse com uma pessoa de confiança e desfaça toda esta carga de culpa e cobrança. Você fez o seu melhor naquele momento!

O velho clichê: Pensamento positivo.

Os clichês são poderosos, não tem jeito! Se tem algo que nos ensina bem por meio de palavras, são os clichês. Então vamos a um que falo bastante por aqui: Alimente seus pensamentos positivos! Eles são essenciais para momentos de resiliência. Você tem um poder aí dentro que pode me mover. Esteja conectada com você e amplifique seus pensamentos positivos!

Busque um “mestre”

Nos momentos de fracasso, é capaz que você duvide de suas habilidades e conhecimento empreendedor. Então vamos trabalhar para nos desenvolver ainda mais? Busque conversar e aprender com pessoas que são na carreira empreendedora e possui mais experiência e conhecimento. Mais de uma mentora? Melhor ainda. O importante é buscar aprender e se desenvolver sempre!

Invista em conhecimento!

Assim como conversar com mentoras, buscar por conta própria aprender sobre algo que você não sabe muito ou desenvolver ainda mais seu ponto forte é um ótimo meio de se reerguer após um fracasso. Você está se fazendo algo para você e vai sair disso tudo muito mais forte!

Viva a fossa!

Pois é. Tá no fundo do poço? Não adianta negar isso dentro de você. Vamos ficar tristes? Vamos. Vamos aceitar o momento? Vamos. Então vamos seguir em frente? POR FAVOR! Viva estas etapas de forma verdadeira para que nenhum pensamento ruim do passado ou receio fique te atormentando. O que passou, passou. O importante disso tudo é tirar um aprendizado de suas experiências, como havia dito lá no começo do texto.

É isso! Quero agradecer a todas que compartilharam suas dificuldades neste momento de fracasso. Sem vocês, este conteúdo não saía! Espero, de verdade, que ajude você a se preparar ainda mais para esta vida empreendedora e que consiga realizar seus sonhos. Fique ligada que estarei fazendo mais conteúdos sobre as dificuldades que compartilharam comigo.

Se você gostou do texto, compartilhe! Você estará ajudando outras pessoas neste momento difícil. Tem mais alguma dica, crítica ou só quer dar um alô pra mim? Comenta aqui embaixo.

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

mar 21, 2018

Como lidar com a insegurança e o medo ao empreender?

Opa, meu povo! Tudo bem com vocês? Esta semana eu pedi para os seguidores do perfil @elasonhaelafaz (Se você ainda não me segue lá, vamos seguir?) me contassem quais eram mais maiores dificuldades deles ao empreender. Como um dos objetivos de estar aqui é poder ajudar mulheres a realizarem seus sonhos através do empreendedorismo, nada melhor do que ouvi-las. A todas que compartilharam suas histórias, MUITO OBRIGADA! Vocês também me motivam e inspiram, sabia?

Como lidar com a insegurança e o medo ao empreender? Esse é o assunto deste texto e tenho certeza que vai ajudar você a realizar seus sonhos. Vem comigo? #elasonhaelafaz

Bom, voltando ao texto, o que elas mais relataram foi a insegurança e o medo ao começar a empreender e o receio de crescimento. Então, prepara um cantinho confortável, se quiser anotar, pegue papel ou caneta (se você for da antiga como eu), e vamos trocar uma ideia séria juntas.

O que muitas me contaram é o que geralmente acontece com literalmente todas as pessoas em qualquer parte de suas vidas. O novo é algo que ainda assusta as pessoas e é totalmente compreensível. Mas este novo não quer dizer que seja desconhecido! O medo e a insegurança podem ser amenizados com um bom planejamento e organização. Vou deixar organizado aqui tudo o que você precisa saber para lidar com a insegurança e medo ao empreender, através de experiências próprias e muita pesquisa.

Cada negócio é único

Por serem únicos, não adianta fazer comparação com o que você tem e com o que os outros têm. Isso só alimenta a sua fonte de medo e insegurança. Por isso, é importante saber que cada negócio é único e tem seu propósito na sociedade. Este empreendimento veio do seu sonho, um ser ÚNICO e ESPECIAL. Por isso, seu negócio não seria diferente!

Descubra a fonte dos seus medos

Falando em (não) alimentar os medos, precisamos saber da onde veio este medo, esta insegurança. Foi uma experiência sua no passado? Foi algo que você leu ou viu? Conheça a fonte de tudo que te paralisa. Conseguiu achar a sua fonte? Então tente entende-la! É importante observar isso com uma parte de você e que é normal! Compreenda o que faz você sentir insegurança e crie soluções para contorna-la. Enfrentar, geralmente, não é a forma mais eficaz e muito menos mais fácil. Mas, com dedicação e aceitação, você consegue contorna-la e até mesmo diminuí-la.

Planejamento é tudo!

Como estamos lidando com o medo e a insegurança, pensamos em situações hipotéticas por muitas vezes. É importante substituir estes pensamentos limitantes com um bom planejamento do seu negócio. Desta forma, você consegue observar o futuro do seu empreendimento com mais clareza e consegue fazer decisões com mais segurança. Eu tenho um vídeo que pode te ajudar MUITO nessa parte. Vou deixar o link aqui.

Analise sua história empreendedora

Algumas pessoas que compartilharam suas histórias me contaram de fracassos e tentativas de empreender. Eu vejo isso como uma baita coragem! Pensa comigo: Essa pessoa deu o primeiro passo, que já é difícil para algumas, ela se esforçou com as ferramentas e conhecimento que tinha no momento e foi realizar seu sonho. Olha, tá de parabéns! Não deu certo no momento? Que bom! Não era para ser. O importante é observarmos estas tentativas e o fracasso como uma (bela) forma de aprendizado. Por meio de experimentações, você adquiriu informações valiosas para saber qual caminho não seguir e qual caminho seguir desta vez. Por isso, analise com honestidade e sem julgamentos o que você fez nestas tentativas e veja o que você pode mudar e o que pode continuar tentando.

Converse e ouça outras empreendedoras

Trocar ideias sobre o assunto é uma ótima forma de ganhar confiança, sabia? É a oportunidade que você tem de ter novas ideias e novas possibilidades para começar. É o que estamos fazendo neste momento, percebeu? Neste exato momento você está em contato com novas ideias e tem a oportunidade de conversar sobre sua história. Você também tem a possibilidade de ter um ganho de conhecimento ainda maior com o meu curso online, que tem conteúdo que não falo aqui, além de conhecimento exclusivo de Los Angeles, diretamente de empreendedoras consolidadas dos EUA. Vou deixar o link com maiores detalhes aqui.

É isso! Sentir insegurança e medo fazem parte de nós. Mas isso não pode nos paralisar! Temos algo muito especial para realizar: nossos sonhos. Então, reveja o que sente e vamos à ação! Você tem muito para contribuir e tenho certeza que seu sonho vai se realizar.

Se você gostou deste texto, compartilhe com quem quiser! É uma forma de ajudar mais pessoas. Comente aqui embaixo se você tem dúvidas, dicas ou quer só dar um alô mesmo!

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

mar 19, 2018

Como tirar proveito de uma situação de escassez para empreender?

Opa, tudo bom? Quer saber como tirar proveito de uma situação de escassez para empreender? Cola comigo que eu tenho a dica especial para você. #elasonhaelafaz

Das muitas coisas que nos aproximam, a dor é uma das coisas que mais nos conectam. Pare para observar a seguinte cena: uma criança chorando por ter caído da sua mão o seu doce favorito. Dá ou não dá uma vontade de consolá-la, de ajudá-la de alguma forma? No exemplo mais simples, já podemos perceber que a dor nos aproxima. É algo humano, não tem como negar isso.

Estou mencionando a dor como forma de união porque além disso, a dor também é um caminho para empreender. Tendo um ponto de vista otimista e com posicionamento assertivo, é possível tirar proveito de uma situação de escassez para oferecer um serviço ou produto que atenda aquele nicho que vive a situação.

São nestes momentos em que a sua capacidade de se sensibilizar com o outro pode ser uma grande aliada para que novos modelos de negócios surjam e atendam de forma criativa um grupo que relata uma necessidade. Foi o caso de Adriana Barbosa, fundadora da Feira Preta, que viu há 16 anos uma ausência de visibilidade da indústria criativa relacionado à estética negra e se dispôs a criar um ambiente apropriado para que mais pessoas tenham acesso a este tipo de cultura. Como ela mesmo fala: “na escassez, se reinvente”.

Adriana Barbosa - foto tirada por Thays Bittar

Adriana Barbosa e o legado de reinventar na escassez! Foto: Thays Bittar

Isso diz muito também que não é só no ambiente oportuno e privilegiado que podemos criar e inventar. Em todo momento, existe a oportunidade para ser inventiva e oferecer para um nicho um serviço que realmente supra as necessidades e anseios, de forma inovadora. E assim, todo o resto vai progredindo quando você achar a paixão na sua criação, na sua invenção, na sua oportunidade de empreender (Quem já empreende sabe do que eu estou falando, não é mesmo?).

Recapitulando, vimos aqui que a dor do outro é uma forma de encontrarmos uma oportunidade de empreender. Mas para isso, temos que ter a sensibilidade de olhar com atenção para a dor do outro (outro no sentido de um grupo que compartilham uma mesma necessidade) e uma visão otimista e comportamento assertivo. Mas para quê isso, Patricia? Não adianta você ter a capacidade de sentir empatia e não ver uma forma de ajudar. Assim, você só afirma a dor do outro e não busca a melhora.

Com todo o ambiente pronto, é hora de deixar se manifestar toda a sua força criativa e inventiva! Se reinvente, crie, pense, sinta! Sua oportunidade de empreender está em próximo de você. Quando encontrá-la, você saberá, pois é ali que sua paixão em realizar está e o bichinho do empreendedorismo já te mordeu. Com isso, minha querida, você já tem uma chance bem grande para fazer diferença no mercado. Você sonhou, você faz!

É isso, meu povo. Espero muito que este conteúdo tenha ajudado. Se você gostou, compartilhe com aquelas ou aqueles que você acha importante. Será uma ótima forma de ajudar estas pessoas a realizar seus sonhos através do empreendedorismo. Se você tem algo a dizer sobre o texto, comente aqui embaixo. Terei o prazer em ler!

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

mar 14, 2018

Como organizar a produção do meu produto?

Opa, meu povo! Tudo bom com vocês? A pergunta “Como organizar a produção do meu produto?” é ainda sem resposta para as pessoas. Mas aqui, vou te dar umas dicas para organizar seu negócio da forma mais adequada. Vem ver!

De uns tempos para cá, temos percebido muitas mudanças tecnológicas, não é mesmo? No nosso cotidiano, a gente consegue observar as inovações e novos produtos que estão em lançamento. De forma geral, podemos ver que são apresentadas diversas possibilidades de produtos, numa escala reduzida.

Você tem muitas opções de produtos, mas tem pouco estoque por aí. Isso se dá pelo comportamento mais criterioso do consumidor, que direciona a forma que lidamos com bens e serviços e impulsiona transformações no modo de produção.

Agora, partindo para o seu negócio ou futuro negócio, fica a dúvida: Como organizar a produção do meu produto? Vou te dar algumas dicas e depois você observa qual é a melhor forma para o seu business. Vamos lá?

A primeira forma de produção é umas das primeiras formas concebidas. Lá no início da Revolução Industrial, um dono de fábrica de carros pensou numa forma bem legal de produzir seus carros.

Através de três conceitos, ele formou uma linha de produção rápida, produtos bem mais baratos e acessíveis, mas que tinha pouquíssima possibilidade de customização. Os três conceitos são:

  • Intensificação: Diminuir o tempo de produção, fazendo com que o trabalho vá até o colaborador.
  • Economicidade: O objetivo era diminuir o estoque de produtos feitos diminuindo a quantidade de etapas da produção até o consumidor (integração vertical) e aumentar os centros de distribuição e espalhar pelo território (integração horizontal).
  • Produtividade: Era importante ter um trabalhador especializado numa função para aumentar a produção.

Dessa forma, se fazia muito, em pouco tempo, com custo mais baixo, mas com pouca possibilidade de mudanças no produto final.

Henry Ford - Fordismo - #elasonhaelafaz image by http://leandronazareth.blogspot.com.br

Olha o tal dono de fábrica de carros! O nome dele é Henry Ford.

Depois de muitas experiências, testes e a própria mudança de comportamento do consumidor em geral, foi percebendo que o produto com alta possibilidade de customização e alinhado a ideais como sustentabilidade e inclusão social, por exemplo.

E no lado de quem produz, foi se questionando muito mais o valor do trabalho, no sentido de reconhecer um significado que dê importância ao trabalho realizado, além da possibilidade de contribuição intelectual e no conhecimento formado no ambiente de trabalho.

Resumindo, a inovação é um dos pontos de regem o mercado atualmente. Mas como levar estes conceitos para o negócio recém-aberto ou ainda na fase de projeto? É bem simples! Tem alguns conceitos que podem te ajudar:

  • Organização corporativa mais horizontal: Com muitas etapas na tomada de decisão, o processo fica mais burocrático e não dá espaço para novas ideias e conhecimento da base, que é quem bota a mão na massa. Por isso, foi pensado num conceito organizacional mais horizontal. O conceito se distancia da verticalidade e deixa a empresa mais informal, onde todos as pessoas se unem para tomada de decisões e contribui com o que sabe. É um espaço mais democrático, interessante para o colaborador, que se sente importante e melhor para surgirem novas ideias.
  • Flexibilidade de trabalho: Ficar preso a uma função por muito tempo acaba desanimando o colaborador. Aliás, hoje em dia, todo mundo fica desanimado com uma situação dessas, né? Nós, empreendedoras, mais ainda! Nada de ficar na mesmice. A ideia é flexibilizar as funções com a equipe para que todos saibam sobre o resultado do trabalho, poder conhecer todo o processo e contribuir com soluções que melhorem a produção.
  • Trabalho em equipe: A união de colaboradores para um objetivo em comum foi vista como uma forma de alcançar o sucesso. Através da atenção com outro, liberdade para discussão, alto comprometimento com a equipe, facilidade para tomar decisões em equipe, é possível formar um ambiente de trabalho mais produtivo para o negócio e mais motivador para os colaboradores.
brainstorming - image by freepik

Organizações horizontais: Mais ideias, menos burocracia!

Com as diversas possibilidades tecnológicas, é possível atuar de forma mais horizontal, atender os nichos com mais atenção à suas necessidades e construir uma imagem corporativa mais alinhada aos anseios da sociedade. Lembrando que aqui neste texto eu trouxe duas formas BEM distintas e que entre elas há outras formas que foram pensadas ao longo do tempo e das mudanças no mundo.

Ache nestas ideias, uma forma que você ache que vai dar certo com a proposta do empreendimento e mão na massa! Com a ação, você vai descobrindo desafios e soluções para o seu business.

E aí, gostou do texto? Espero que sim! Compartilhe este conteúdo com outras empreendedoras e ajude-as a também conseguirem realizar seus sonhos através do empreendedorismo. Tem alguma dica, crítica ou elogio? Comente aqui embaixo que eu estou sempre de olho!

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

mar 12, 2018

Como fortalecer a imagem de marca de uma empresa?

Opa, meu povo! Tudo bom com vocês? Hoje eu vim aqui para falar um pouco sobre como fortalecer a imagem de marca de uma empresa. Ter uma marca reconhecida é uma ótima forma de se manter no mercado e ter espaço para evoluir e acompanhar as oscilações.

Mas precisa disso tudo? Não basta colocar meu produto ou serviço na praça e divulgá-lo? Não basta só isso, é preciso mostrar para a sociedade que a marca que oferece isso tem uma cultura empresarial favorável aos conceitos daquele grupo.

Por exemplo, foi muito interessante para a Apple construir seu branding para conseguir espaço para inserir outros produtos no mercado. Há 30 anos atrás, mais ou menos, a Apple produzia somente computadores. Hoje a marca é referência em tecnologia e inovação, possibilitando oferecer diversos produtos. De computadores a tocadores de música.

Essa ação de gerir uma marca, fortalecer a reputação e construir uma relação de lembrança para os clientes, se chama branding. Mas como eu começo a fortalecer a imagem de marca de uma empresa? Vou te falar agora!

Eu vou dividir em três partes a forma inicial para se começar a fortalecer a marca da sua empresa. São partes que devem se relacionar e trabalhar de forma alinhada para que sua marca ganhe força.

Estratégia de marca

Nesta parte, vamos colocar em prática o relacionamento da empresa com seus colaboradores, parceiros e comunidade. Formar uma estratégia de marca significa criar uma linha de relacionamento com grupos que ajudam a sustentar a imagem da empresa. De acordo com os valores empresariais, cria-se uma estratégia para crescer o valor da marca e reforçar a reputação corporativa. Resumidamente, a estratégia de marca induz o crescimento da reputação que a empresa quer formar internamente e externamente. Os públicos de relacionamento são: Empregados, parceiros, clientes, comunidades, governo.

Estratégia de negócios

Neste parte, olhamos para os produtos e/ou serviços que são oferecidos pela empresa. De acordo com as novas tendências do mercado, é avaliado a sustentabilidade dos negócios e onde a empresa pode atuar: que produtos podem oferecer, devem continuar com a cartela de negócios que oferecem e devem reformular os negócios oferecidos. Lembrando que esta estratégia deve estar alinhada à estratégia de marca da empresa, com seus valores e reputação.

Estratégia de comunicação

É o combustível para manter a construção dos valores da marca e fortalecer a imagem de marca de uma empresa. A estratégia precisa levar em conta os valores e reputação da marca aliado à divulgação dos produtos e serviços oferecidos. É importante ressaltar que de nada adiantar investir muito em mensagens diferentes, porque o resultado será fraco. A sacada é construir a comunicação da marca aliado à comunicação da cartela de negócios, com continuidade. Comunicação é um processo contínuo.

Temos então as partes que você precisa saber para iniciar a fortalecer a imagem de marca de uma empresa. Mas o que ganho com isso tudo? Vou listar para você!

  • Reforça a reputação corporativa
  • Aumenta o valor da marca
  • Cria uma proposta de valor para diferenciar a marca no mercado
  • Otimiza os investimentos

Para você que empreende e quer evoluir no seu sonho, não deixe de lado a imagem da sua empresa. Atualmente, principalmente no ambiente digital, a construção de uma reputação é fundamental para se manter ativo no mercado. Nada passa despercebido na internet e deixar isso sem controle é ter a certeza de que, no futuro, seu business não terá terreno para crescer.

Se você gostou deste texto, compartilhe! Assim você estará ajudando a outras pessoas a realizar seus sonhos por meio do empreendedorismo. Comente aqui embaixo se você tem mais dicas, críticas e elogios. Terei o prazer em ler!

Um beijo, tchau!