Arquivos da tag: business

jan 22, 2019

10 mulheres que foram excepcionais em 2018

Opa, tudo bem?

Em 2018, como já mencionei várias vezes, tivemos grandes desafios e oportunidades no empreendedorismo.

Muitas mulheres se destacaram por seu trabalho, sua personalidade, representatividade e luta para que as relações sejam mais justas entre homens e mulheres.

Hoje, eu vou destacar 10 mulheres que foram excepcionais em 2018 e são inspirações enormes para a nossa carreira. Vamos lá?

De acordo com a Revista Forbes:

1) Angela Merkel

  • Ela se tornou a primeira chanceler mulher da Alemanha em 2005 e está cumprindo seu quarto mandato.
  • Merkel continua a ser uma figura de liderança na Europa, representando a maior economia do continente, depois de conduzir a Alemanha através de uma crise financeira para um exponencial crescimento.
  • Seu mandato é simbolizado pela presença fortemente reservada, por enfrentar Donald Trump e abrir as fronteiras da Alemanha para mais de um milhão de refugiados sírios.

2) Thereza May

  • Ela se tornou primeira-ministra da Grã-Bretanha em julho de 2016.
  • Seu trabalho é marcado principalmente por intermediar a negociação da saída da União Europeia com grupos sociais e a ala política.

3) Christine Lagarde

  • Lagarde lidera o FMI desde 2011, fornecendo supervisão financeira e orientação para sues 189 países membros, incluindo China, Rússia e Reino Unido
  • Ela enfrentou grandes crises mundiais e uma eminente guerra comercial entre EUA e China
  • Desde a crise de 2008, Lagarde faz um discurso de união de pensamentos e reformas de gênero na área.

4) Mary Barra

  • Mary investiu bilhões em veículos elétricos, carros autônomos e um serviço de compartilhamento de viagens chamado “Maven” para garantir o futuro da GM
  • A GM ficou em primeiro lugar no relatório global de 2018 sobre igualdade de gênero. Foi uma das duas únicas empresas globais que não tem diferenças salariais entre homens e mulheres.
  • Mesmo enfrentando uma crise na GM, Mary conseguiu causar uma boa impressão para acionistas, subindo os preços das ações da GM em 5%.

5) Abigail Johnson

  • Ela se tornou CEO da Fidelity Investiments, uma gigante do fundo mútuo que seu avô fundou em 2014. Ela foi nomeada presidente em 2016.
  • Abigail possui participação por volta de 24,5% da empresa, que tem cerca de 2,5 trilhões de dólares em ativos gerenciados.
  • Sua carreira é marcada pela falta de medo em abalar as coisas na empresa de 72 anos, deixando de lado seus fundos mútuos para focar em novas soluções.
  • Ela está estrategicamente priorizando mulheres em seu trabalho, superando uma mudança de US$22 trilhões em ativos para o segmento feminino.

6) Melinda Gates

  • Melinda mantém sua posição como a mais poderosa filantropa, sendo co-presidente da Fundação Bill e Melinda Gates.
  • Fundada em 2000, é a maior fundação de caridade privada do mundo, com um fundo fiduciário de US$ 40 bilhões.
  • Seu trabalho tem se tornado mais notado ao moldar a estratégia da fundação, a fim de resolver assuntos globais difíceis, como a educação, pobreza e também a contracepção e o saneamento.
  • Melinda também dedicou seu trabalhou em prol dos direitos das mulheres e meninas.

7) Susan Wojcicki

  • Susan é CEO do Youtube desde fevereiro e 2014, com uma base de 1,9 bilhões de usuários fiéis mensais.
  • Em 1999, Wojcicki tornou-se a 16ª funcionária do Google. Em 2006, ela defendeu a aquisição do Youtube por US$ 1,65 bilhões.
  • O site agora vale cerca de US$ 90 bilhões.
  • Ela encontrou dificuldades em manter conteúdo pertubador fora da plataforma, mas conseguiu evitar os escândalos que afetam o Facebook.

8) Ana Patricia Botín

  • Botín tornou-se presidente do Grupo Santander em 2014, após a morte súbita do seu pai, Emilio.
  • Ela tem defendido o segmento das fintechs, focar empreendedores, apoiando pequenas empresas e empresas lideradas por mulheres.
  • Ana lançou o Santander X para apoiar o empreendedorismo universitário a ajudou a criar a primeira plataforma multi setorial baseada em blockchain da Espanha.

9) Marillyn Hewson

  • CEO da Lockheed Martin desde 2013, Hewson habilmente dirigiu a posição da empresa de defesa na vanguarda da segurança, setor aeroespacial e tecnologia.
  • Em 2017, a empresa faturou US$51 bilhões, quase 70% do governo dos EUA.
  • O programa de jatos de combate F-35 e outros desenvolvimentos que atendem às necessidades militares modernos ajudaram a aumentar o valor de mercado para quase US$100 Bilhões.
  • Para permanecer na frente da inovação, a Lockheed Martin está desenvolvendo uma aeronave supersônica que quebra a barreira do som sem um boom sônico.

10) Ginni Rometty

  • Líder há 36 anos da icônica empresa de tecnologia, Rometty liderou a transição da IBM para uma empresa focada em dados.
  • Metade da receita de US$79,1 bilhões da IBM em 2017 vem dos segmentos emergentes e de alto valor em TI, em comparação com seus produtos de software legados.
  • Ginni colocou a computação cognitiva no centro de sua estratégia para o futuro e fez apostas massivas em blockchain e computação quântica.
  • Em outubro de 2018, a IBM comprou a Red Hat por US$34 bilhões, colocando a empresa em posição de competir com a Amazon e a Microsoft na computação em nuvem.
  • Esforços contínuos para manter as mulheres no mercado de trabalho incluem licença parental estendida, um programa de entrega de leite materno e retornos.

E aí, conhece alguma delas? Conta mais para gente sobre!

Quer conhecer outros nomes importantes em 2018? Entra nesse link.

Compartilhe este conteúdo para que mais pessoas sejam inspiradas!

Um beijo, tchau!

jan 9, 2019

Design Thinking pode salvar meu negócio?

Opa, tudo bom?

Do sonho até a realidade, um caminho desafiador deve ser percorrido. Compreender estes desafios para criar soluções inovadoras é a forma que toda empreendedora deseja atuar na sua carreira.

Graças ao estudo e vivência de administradores, gestores e estudiosos, foram criadas alguns métodos para se alcançar a tão sonhada inovação, que não é fácil de alcançar, diga-se de passagem!

Hoje eu vou apresentar para você o Design Thinking, um método de reflexão e criação de soluções criativas para que você possa implementar no seu negócio. Vamos lá?

Pra começar, o que é Design Thinking?

Segundo Charles Burnette:

É um processo de pensamento crítico e criativo que permite organizar informações e ideias, tomar decisões e adquirir conhecimento.

Este processo de pensamento coloca como centro as necessidades e comportamentos das pessoas para entender situações e a partir disso criar formas de solucionar problemas encontrados. Dessa forma, conseguimos adotar um novo olhar para os problemas que ocorrem nos negócios, com uma postura mais empática.

Como é um processo que se baseia na experiência e necessidades das pessoas, é importante que as ações tomadas dentro da abordagem do Design Thinking sejam em grupo. Reunir stakeholders para adquirir soluções criativas é o caminho proposto pelo Design Thinking, além de ir à fundo nas experiências de todas as pessoas envolvidas no processo e liberdade de criar soluções inovadoras, na sua essência.

Design Thinking

Este processo pode ser dividido em partes que não são sequenciais. Assim fica mais fácil de entender todo o processo.

Imersão

Nesta parte da abordagem, em resumo, vamos ir ao encontro de informações para serem analisadas. Como o Design Thinking é baseada nas pessoas, é importante realizar pesquisas com pontos de vista diferentes, ou seja, multidisciplinaridade é importante e deve ser explorada para conseguir observações mais amplas de uma realidade.

Através de uma pesquisa profunda, é possível fechar um problema e separar pontos adquiridas nas pesquisas que levantem questões importantes para pensar sobre o problema. O que é feito, geralmente, é escrever em cartões estes pontos para que o grupo possa manusear com mais flexibilidade.

Análise

Após a coleta de informações, através de diferentes pontos de vista e se aprofundar na pesquisa, é hora de organizar as informações. Nesta parte, a abordagem sugere que criemos padrões através das informações adquiridas, sempre correlacionando com o problema em questão. Usar da linguagem gráfica para montar mapas conceituais ou cartões de insights é recomendado por esta abordagem, já que estamos trabalhando em um grupo multidisciplinar.

Além de reconhecer padrões e observar insights nos dados adquiridos, é recomendado refletir nas diretrizes do projeto, a fim de traçar uma diretriz. Como vamos trabalhar com o máximo de liberdade criativa, devemos ter algo que nos coloque da direção que queremos seguir.

Ideação

A partir dos insights que conseguimos ao organizarmos as informações adquiridas, vamos nos aprofundar na reflexão e tornar o processo um pouco mais palpável. O público-alvo do projeto deve ser incluído para que apresentemos os esboços das soluções criadas e conseguir ainda mais insights e criar soluções que atendam realmente o público-alvo. Algo que é bastante feito neste processo e que também é feito nas agências e setores de comunicação é o Brainstorming. Um processo de captura de reflexões e ideias de um determinado tema, com extrema liberdade de pensamento e sem julgamentos. Assim, o resultado fica mais rico e diverso.

Prototipação

Após estas partes onde a reflexão e criação foram a chave, é tempo de ir para a ação. Toda criação de insights e soluções devem ser validadas. Para isso, faremos protótipos das inovações criadas através do Design Thinking o observar o feedback do público-alvo. A validação e eventuais ajustes devem ser coletados e implementados nos protótipos para que o resultado final atenda às necessidades do target.

Dando tudo certo, faça o lançamento da sua solução inovadora!

A abordagem do Design Thinking nos revela que, em tempos de dados estatísticos, resultados imediatos, retorno máximo de investimento e toda pressão que envolve este ambiente, existe uma lacuna que só a liberdade criativa e a visão empática pode ocupar e até mesmo prevalecer nas decisões de negócio.

Será mesmo que vamos nos render aos números, automações, decisões frias e calculadas ou vamos manter a humanidade nos negócios?

Espero que tenha gostado deste conteúdo e que possa contribuir para o crescimento do seu negócio! Compartilhe este conteúdo com mais pessoas e mostre a elas como a visão mais humana nos negócios pode ser rentável. Quer sugerir alguma dica, tirar dúvidas ou fazer críticas? Vai lá no perfil do instagram!

Um beijo, tchau!

jan 3, 2019

Como lidar com fornecedores?

Opa, tudo bem?

Já faz algum tempo que algumas seguidoras compartilharam comigo que possuem dificuldades em lidar com fornecedores, principalmente aqueles que são estratégicos para o negócio.

É verdade que esta relação de mercado é delicada. Mas com a experiência passada por mim e por outras empreendedoras que tiveram relações de parceria com fornecedores, é possível minimizar riscos e garantir um melhor crescimento do seu negócio.

As dicas que compartilharei com você não são regras, mas sim observações que funcionaram na maioria dos casos e que pode funcionar com você. Vamos lá?

Conquiste a pessoa que está fornecendo para você

Lidar com fornecedores, primeiramente, é lidar com pessoas. E nada mais sensato do que estabelecer uma proximidade e buscar um bem-estar para que suas negociações sejam favoráveis para ambas as partes. Então, a primeira dica para lidar com fornecedores é: procure estabelecer uma relação próxima com seus fornecedores. Aproveite que ambas as partes querem se beneficiar destas negociações e conquiste a pessoa que está com você.

Existem quesitos tão importantes quanto preço

Quando estamos no início do empreendimento, na grande maioria dos casos, quando vamos fazer negociações de compra e venda com fornecedores, acabamos levando muito em conta o preço e prazo. Com isso, não conquistamos fidelização com fornecedores e também temos pouca possibilidade para flexibilização de pagamentos. Quando temos uma relação confiável entre as partes, é possível estabelecer uma melhor negociação, podemos comprar na quantidade mais adequada ao momento e fazer pagamentos mais alinhados. O que não acontece quando só vemos preço e prazo, não estabelecemos uma relação próxima com seus fornecedores nem observamos outros aspectos do negócio.

Cuidado com as parcerias com exclusividade

Na relação entre empreendedoras e fornecedores, podemos ver algumas armadilhas. Quando pesquisamos novos ou procuramos negociar melhor com fornecedores conhecidos, podemos nos deparar com propostas de exclusividade. Principalmente para o comércio, estabelecer uma exclusividade com fornecedores pode diminuir o leque de opções de oferta e também causar uma compra excessiva de matéria, causando prejuízo. Produto parado também prejudica o negócio, assim como a falta dela. Estabelecer relações com mais de um fornecedor pode garantir a melhor oferta de produto do seu negócio e conseguir melhores preços.

Faça a sua parte na parceria

Numa relação de negócio, observamos muitas características dos fornecedores, mas o sucesso das parcerias pode estar na organização e alinhamento das suas demandas com a oferta dos fornecedores. Por isso, é importante organizar planilhas de estoque, de pagamentos e logística, para que você saiba exatamente o que precisa, agilizar processos de pagamentos e de logística (transporte, armazenamento, prazos).

Comunique e melhore sempre sua parceria

Lidar com fornecedores é diferente de lidar com clientes. É preciso um canal de comunicação mais claro e formas de estabelecer soluções para suprir possíveis problemas. Você ou sua equipe devem conversar e trocar informações frequentemente para que as etapas que envolvem a parceria funcionem plenamente e solucione imprevistos de forma ágil.

Bom, estas são dicas valiosas que podem ajudar você a conseguir um diferencial no seu negócio através de fornecedores, conseguir preços e condições melhores para competir com outras marcas.

Você sabe de mais alguma dica para lidar com fornecedores? Conta pra mim! O @elasonhaelafaz é um espaço nosso para trocar ideias e desenvolver juntas.

Compartilhe este conteúdo com outras empreendedoras e ajude a mais pessoas a desenvolverem seu business e realizarem seus sonhos.

Um beijo, tchau!

dez 21, 2018

Que tal rever seu planejamento financeiro?

Opa, tudo bom?

Estamos chegando ao final de mais um ano. Com isso, revemos muitos pontos da nossa vida e trabalho. Que tal rever seu planejamento financeiro?

Acredito que você tenha um planejamento financeiro, certo? Bom, se não tem, é um bom momento para começar!

Se você faz coisas como tentar memorizar a atividade financeira ou só anotar no papel os seus gastos, sugiro rever e deixar a mente aberta para conhecer uma forma mais otimizada.

Planejar sua atividade financeira requer uma organização fina e caso você não se encaixe neste padrão, não tem problema! Hoje a gente encontra por aí muitos apps que nos ajudam a organizar.

No entanto, a gente precisa conhecer as etapas do planejamento financeiro, que são simples mas ajudam muito a gente a decidir a forma que iremos caminhar.

E como todo e qualquer planejamento, pode e deve ser revisto sempre que houver uma mudança no contexto que está inserido o seu planejamento.

Começando pela organização das informações.

Para planejar, devemos organizar as informações que temos para haver uma análise clara. Então, não deixe passar nenhum gasto e reúna tudo em uma planilha, se você tem mais facilidade em organização, ou em um aplicativo de controle de gastos se você quer mais praticidade.

Agora podemos analisar e eliminar gastos

Depois de tudo organizado, a gente consegue observar com muito mais clareza a nossa atividade financeira e ver que tem um gasto aqui e ali que não tinha tanta necessidade naquele momento. Sempre existe! Então, a etapa aqui é observar seus gastos e traçar um limite de gastos para cada parte do seu negócio. Fica mais fácil olhar seus gastos separados e classificados.

Com dinheiro sobrando, que tal investir?

Como toda e qualquer pessoa busca rentabilidade no seu negócio, aproveite este montante parado e economizado para investir em títulos de renda fixa e também na Bolsa de Valores, por exemplo. São formas de movimentar o capital e fazer render, nem que seja um pouco. Vai que você precise no futuro, não é mesmo?

Espero que você tenha gostado destas dicas e possa aplicar no seu empreendimento. Acredito que isto irá te dar mais segurança na administração financeira. Compartilha este texto com todo mundo, viu? Vamos fazer com que mais e mais companheiras de empreendedorismo se tornem empoderadas.

Um beijo, tchau!

dez 5, 2018

As etapas que definem o crescimento de uma empresa

Opa, tudo bom?

Um dos benefícios de ser inspirada é observar no outro uma série de etapas que fizeram aquela pessoa ou instituição chegar na sua atual situação.

E isso não só basta observar superficialmente como aquela empreendedora está neste momento ou o que aquele business faz atualmente…

É importante olharmos mais a fundo que etapas foram vencidas para que aquele estado tenha te inspirado tanto.

Até porque, as coisas não se transformam assim tão rápido, não é mesmo?

E falando em etapas, inspiração e empreendimentos, a gente também tem um certo padrão, uma série de etapas que define o crescimento de uma empresa.

E aqui eu vou explicar estas etapas que definem o crescimento de uma empresa.

#1 – SUA PRESENÇA

A primeira etapa do crescimento de uma empresa se define, superficialmente na figura da empreendedora, mas pode ser que tenha 1 ou 2 sócios.

O empreendimento consiste no início daquela ideia incrível que teve. É a inspiração se tornando real.

Aqui a paixão está à mil, a busca por uma cartela consistente de cliente é alta e pouco se sabe sobre o futuro. São apenas descobertas que irão clareando sua visão.

Por não termos uma visão clara do futuro, a gente só vai saber na prática se o caminho feito foi certo. Então, aproveite seu início para focar nas VENDAS.

Aparências e tecnologia são adquiridas depois que seu início está estabilizado.

Não tenha medo de mudar logo no início. É normal isto acontecer! Ajuste seu público-alvo, o posicionamento do seu empreendimento, o produto, como vende, onde vende. Experimente até acertar.

Com um bom começo, um bom faturamento virá.

#2 – SEU DESAFIO

Nesta etapa, você encontra uma empreendedora com uma alta margem de lucro e muito trabalho.

Suas vendas estão indo muito bem e, consequentemente, você vai precisar formar uma equipe e delegar tarefas.

As dúvidas e inseguranças virão, esteja certa disto.

Mas lembre-se de que:

  • Você tem certa estabilidade no fluxo de caixa;
  • O desafio te mostra novos caminhos;
  • Sua inspiração também passou por isso. Você também consegue.

Como falei dos desafios como caminhos, por onde seguir?

  • Desenvolva sua capacidade de gestão;
  • Aprenda a delegar tarefas, contratar, controlar e motivar equipes;
  • Organize o caos.

 

#3 – SEU AVANÇO

Seu empreendimento está em crescimento e é prazeroso ver seu sonho avançando em comparação com outras empresas.

É provável que você se encontre como inspiração para outras mulheres empreendedoras.

Bom, essas mulheres inspiradas não estão na sua pele. O avanço requer aprendizado. O aprendizado requer desafios. Serão muitos nesta etapa.

Você está vendendo muito bem, mas não consegue entregar uma boa experiência pós-venda. Sua equipe ainda não está alinhada ou ainda não possui pessoal suficiente pra entregar.

Várias pessoas entram e saem da sua empresa, suas decisões são muito mais delicadas, é difícil encontrar profissionais qualificados, você encontrará alguns custos exagerados.

Sim, será estressante. Mas serão vivências que você pode desenvolver:

  • Sua capacidade de gestão de pessoas e financeira;
  • A organização, cultura e processos da sua empresa (MUITO IMPORTANTE);
  • Seu mindset como empreendedora.

É como se você encontrasse um chefão de um game que parece que qualquer deslize fará com que você perca o jogo. Mas lembre-se de que você ainda pode contratar pessoas boas, com tempo para isso. Mais importante que o final do caminho, é com quem você vai caminhar.

#4 – SEU CONHECIMENTO

Aqui eu defini esta etapa do crescimento de uma empresa como conhecimento porque você passou da fase do aprendizado, dos desafios, e isto irá gerar conhecimento para você e sua equipe.

O interessante do conhecimento é que assim é possível transformar mais o que está dentro do que está fora. E esta é a questão desta etapa.

Você terá pouco tempo disponível para contratar pessoas. Pelo contrário, você verá uma necessidade maior de pôr mais produtos em oferta e mais pessoas para colaborar.

Lembra que eu falei em um dos pontos da etapa #3 que a organização, cultura e processos da sua empresa são muito importantes? Lembra que eu falei agora que a vantagem do conhecimento é transformar ainda mais o que está dentro?

Então. Neste momento você poderá encontrar regras, processos e mecanismos que atrasam a atividade interna.

Coisas que não foram questionadas, transformadas, melhoradas, por conta da loucura que era a etapa do avanço.

Neste momento, com conhecimento, você e sua equipe podem flexibilizar, agilizar e construir processos, organizações e culturas mais inteligentes.

Se sua empresa já foi avançando desta forma, ótimo! Você pode focar a atenção em outros pontos.

Um exemplo é a decisão. Agora você terá que se embasar muito suas decisões em planejamentos estratégicos e informações relevantes.

Surgirão muitas oportunidades de parcerias e campanhas. Cabe a você dizer com sabedoria o NÃO para quem não está alinhado à estratégia do negócio.

Sobrarão as pessoas e grupos que são capazes de trabalhar de acordo com as diretrizes estratégicas.

Isto irá render um crescimento absurdamente alto!

#5 – SEU VÔO

Sua empresa está praticamente funcionando sozinha e parcerias e contratos milionários estão sendo feitos.

Apesar deste avanço todo, qualquer erro pode gerar também quedas imensas. Não esqueça que você está em vôo.

Ainda é muito importante manter uma boa cultura organizacional, processos eficientes e visão alinhada ao planejamento estratégico da empresa.

No entanto, você e suas sociais se encontrarão com a paixão pelo empreendimento mais fraca e o dilema entre vender a empresa e continuar baterá a sua porta.

Independente das escolhas feitas, tenha muita clareza e embasamento para as suas decisões.

Bom, espero que tenha gostado deste conteúdo! São informações que podem ajudar você a organizar sua mente nas diferentes fases da carreira empreendedora.

Conhece alguém que esteja em alguma destas etapas? Compartilha pra ela e ajude-a também a ser uma pessoa que inspira.

Um beijo, tchau!