Arquivos da tag: Comportamento

dez 10, 2018

Os ciclos e os recomeços

Opa, tudo bom?

Espero que sim! Hoje quero falar com você não só sobre a vida empreendedora, mas sobre a vida no geral.

E quero falar especificamente sobre os ciclos e os recomeços.

Recomeçar implica em deixar pra trás um fim e seguir através do começar mais uma vez.

Mas recomeços são muito mais ou menos do que isto. Vai depender da forma que você encara fins e começos.

Encarar estes momentos determinam fortemente como você é no momento e como sua vida seguirá caso não haja mudanças internas.

Tem gente que tem dificuldades em lidar com finais. Tem gente que tem dificuldades em lidar com inícios.

Acontece que é necessário para a nossa vida existir recomeços. Sem isso, não haveria como nos desenvolver, aprender, conhecer e aplicar na nossa vida. Sem os finais, como seriam os belos inícios que você teve na vida?

Nós entramos em conflito com os recomeços quando não reconhecemos que são momentos como este que nos renovam.

Sim, é cansativo recomeçar. Eu sei disto. Mas todos os dias vivemos o cansaço da noite para acordarmos pela manhã renovados. Recomeçar é tão trivial quanto respirar, que também tem seu fim e início.

Entre o fim e o início existem perdas e ganhos, dores e alegrias, o voltar-se para dentro e a manifestação de nós.

Para cada noite de dor, cansaço e perdas, haverá da manhã de alegrias, ganhos e revitalização.

Então, o que vim aqui dizer é: Não tenha medo de recomeçar. Todas nós estamos vivendo finais e inícios que nos farão ainda mais poderosas do que já somos.

É sua a escolha de encarar a vida como uma linha reta ou como um ciclo.

Espero que este papo tenha ajudado você a ter um pouco mais de força para seguir. Se você sabe de alguém que precisa ler este texto, compartilhe!

Um beijo, tchau!

dez 3, 2018

Nós fazemos o empreendedorismo espelhado nas ideias feministas e isto está sendo revolucionário.

Opa, tudo bom?

Nestes longos anos de carreira empreendedora, pude trocar ideias com diversas mulheres que sonham e fazem acontecer. Elas colocam as suas vidas em prol de uma carreira que levante o mercado, sempre baseado nas suas visões de sociedade.

Isso diz muito respeito às nossas posições acerca dos problemas da sociedade. Nesse ambiente que estamos, vamos falar obviamente de empreendedorismo feminino.

Sim, isto é também uma questão social. Nós fazemos o empreendedorismo espelhado nas ideias feministas e isto está sendo revolucionário. Sabe o porquê? Vou te mostrar agora!

1) Nós estamos decidindo por nós mesmas

Hoje temos um leve gosto da obviedade desta frase, mas até pouco tempo isto era bem difícil de ver na sociedade. Mulheres que fazem um negócio começar do zero e se tornar grandes empreendimentos são tão revolucionárias que, dentro do mercado, homens ainda sabem muito pouco como lidar com tanto poder e presença vindo delas (e de você também). E onde o feminismo entra nisto? A sociedade patriarcal é estruturada no homem como figura central. Famílias, grupos e organizações eram comandadas por homens e as mulheres tinham pouquíssima ou nenhuma força de decisão nestas camadas. O movimento feminista quer quebrar com esta desigualdade para atender também interesses de todas as mulheres que desejam ocupar estes papéis na sociedade.

2) O dinheiro que temos é fruto do nosso trabalho

As possibilidades e oportunidades que o dinheiro fornece pra gente é essencial pra nossa vida. Tanto que, hoje temos um mercado muito mais voltado para os interesses e necessidades REAIS das mulheres, não só por ocuparmos espaços de poder, mas por temos poder de compra. O dinheiro que temos atualmente é fruto do nosso próprio esforço. Não dependemos de homem para termos o que queremos, e isto é libertador. Lembra que falei da estrutura patriarcal? Então, como os homens que eram os provedores da casa, as mulheres não tinham remuneração por não terem um trabalho que não seja o trabalho doméstico. O dinheiro era dividido para a mulher da casa de acordo com a visão do homem e isto restringia a liberdade da mulher.

Nós escrevemos a nossa própria história.

3) Temos a chance de sermos encaradas igualmente nos espaços de trabalho

Ainda temos muito para caminhar, eu sei. Mas demos alguns passos no que se refere à diferença de pagamento para homens e mulheres. No início, as empreendedoras e executivas recebiam muito menos do que os homens recebiam, comparando o mesmo posto de trabalho. Por tamanha visão pejorativa da mulher nos espaços de trabalho, a mulher não tinha reconhecimento de seu potencial e competência, mesmo sendo maiores do que dos homens. Hoje temos uma oportunidade um pouco maior de encontrar postos de trabalhos com pagamentos justos para as mulheres. Além da crescente conscientização da sociedade como todo, mulheres podem ocupar espaços de trabalho e fazer a diferença sendo boas no que fazem e sendo justas nas suas relações de trabalho.

4) A alta segmentação de mercado também é boa para todas nós

Só a gente sabe a complexidade que é colocarmos todas numa definição de mulher. Até hoje esta pergunta não tem uma resposta simples. Isto porque há diversas mulheres que possuem visões, interesses, necessidades, problemas, privilégios e opressões diferentes. Como o empreendedorismo visa também inovar no mercado solucionando problemas que as diversas camadas da sociedade possuem, o empreendedorismo feminino pode dar uma atenção muito maior às necessidades dos segmentos da camada feminina da sociedade. Por dois motivos simples: empatia e vivência. Nós podemos perceber melhor o que a outra sente, entender mais profundamente a necessidade da outra e oferecer soluções mais inovadoras. E a vivência por simplesmente sabermos através da experiência de vida o que as mulheres em geral vivem por aí e precisam do mercado.

Você que pretende ou já trabalha numa carreira empreendedora, está fazendo muito mais do que simplesmente movimentar a economia e desenvolver o mercado. Você é mais um ponto de revolução neste mundão que já não se sustenta com a visão de que homens possuem uma posição acima das mulheres por motivos infundadas e preconceituosas. E está sendo maravilhoso poder estar aqui, inspirando e sendo inspirada por cada empreendedora que coloca sua cara a tapa pra fazer acontecer, quebrar padrões e fazer todas nós crescermos.

Espero que este texto tenha te ajudado a se inspirar no seu dia a dia e que tenha te transformado pra melhor. Comenta aqui ou nas minhas plataformas sociais o que você achou! Compartilhe este texto para que outras mulheres (e homens também) se inspirem e se desenvolvam profissionalmente.

Um beijo, tchau!

nov 28, 2018

10 dicas para ter uma reunião produtiva

Opa! Tudo bom com você?

Quando a gente pensa em reunião produtiva, a gente logo pensa no inverso, em tempo improdutivo, não é mesmo? Isso porque muita gente não sabe lidar com reuniões, seja ela qual for.

Acontece que uma reunião interna ou de negócios pode e deve ser mais produtiva e terminar com um plano de ação definido. Eu vou compartilhar com você 10 dicas para ter uma reunião produtiva. Assim, suas ideias podem ser melhor aproveitadas e problemas podem ter soluções em menos tempo. Vamos lá?

1) Saiba claramente o objetivo da reunião

Independente se for um call ou uma reunião presencial, é importante sabermos claramente o objetivo pelo qual você e outras pessoas se reuniram. Parece bobo falar sobre isso, mas muitas das vezes, participamos de reuniões que possuem objetivos vagos ou sem sentido que só nos faz perder tempo valioso. Escreva o objetivo principal da reunião para ter a clareza do destino final da reunião.

2) Tenha uma pauta

Listar numa folha os tópicos que precisam ser abordados é importante para manter alta a objetividade da reunião e não haver perca de assunto. Nos distrair com outros assuntos que não se relacionam com o tema principal é muito fácil de acontecer. Se preciso, delegue uma pessoa para ficar responsável pelo foco dentro da reunião.

3) Numa negociação, saiba os objetivos do seu cliente

Caso você tenha que fazer uma reunião de negócios, conhecer bem seu cliente e seus objetivos. Como estamos falando de negociação, é importante haver um acordo entre as duas partes para termos resultado. Portanto, conhecer a necessidade e objetivos do seu cliente ajuda a ter uma comunicação mais produtiva.

4) Ter planos B, C e até mesmo D

Ainda no caso de uma reunião de negócios, é provável que surgirá uma objeção por parte do seu cliente. Conhecê-lo ajuda a construir alternativas boas de acordo.

5) Saiba ouvir o outro

Independente de uma negociação ou reunião interna, saber ouvir o outro, dar espaço para o outro falar, ser atencioso com as falas ajuda a construir uma imagem de confiança. Comunicar também é ouvir, então seja muito prudente nas interrupções.

6) Se reúna com quem realmente importa

Isso acontece muito! Sabe aquela reunião entre companheiros de trabalho, que o patrão chega e chama toda a sua equipe para falar de um tema importante realmente para umas 10 pessoas? Então, isto torna uma reunião muito improdutiva. Convoque aqueles que realmente irão contribuir com a reunião.

7) Tenha controle do tempo

Estipular o tempo de reunião e respeitá-lo evidencia uma imagem sua de autoridade e organização. Não chegue atrasada, nem ultrapasse o tempo definido pela organizadora.

8) Sua postura também vende

Seja como participante ou como alguém que está expondo/vendendo uma ideia, a sua postura influencia no seu esforço de convencer e argumentar. Uma postura torta, debruçada na mesa ou cadeira, não entrega uma imagem de autoridade. Dessa forma, dificilmente uma pessoa pode acreditar na sua palavra. Nossa linguagem também está em como nos gesticulamos e posicionamento fisicamente. Então, se atente à sua postura, ereta e ajustada a sua posição, seja ela sentada ou em pé.

9) O contexto influencia na sua linguagem

Falando em linguagem, é importante prestarmos atenção ao ambiente em que estamos. Quando estamos em um ambiente mais empresarial, com pessoas desconhecidas ou pouco conhecidas, nos adequamos usando uma linguagem mais formal, sem gírias. Quando estamos num espaço mais descontraído, com pessoas com um nível de intimidade maior, podemos usar a linguagem informal para nos comunicar. Fazer o contrário disto pode cortar o vínculo conversacional com quem está te ouvindo.

10) Sempre coloque suas ideias

Quando somos participantes, por vergonha ou algo do tipo, deixamos de expor nossas ideias, que poderiam contribuir com a reunião. Então, não deixe de expor seu conhecimento e ideias. Depois você pode sentir arrependimento por não ter contribuído da melhor forma.

É isso, meu povo! Compartilhei 10 dicas para ter uma reunião produtiva, mas ainda tem mais dicas para arrasar numa reunião. Conhece alguma que eu não falei? Conta pra gente!

Se você conhece alguém que tá precisando conhecer algumas destas dicas? Compartilha este conteúdo então! Você vai ajudar muita gente.

Um beijo, tchau!

nov 16, 2018

Slow Fashion: Nossa relação com a vestimenta se transformou.

Opa, tudo bom?

A nossa relação com a vestimenta tem se transformado, assim como muitos aspectos da sociedade. Num paralelo com avanços tecnológicos, a moda se inseriu em um quadro de mudanças na forma de pensar a vestimenta.

Com as novas possibilidades de comunicação, produção e consumo, vemos grandes empresas estabelecendo uma estrutura de consumo de moda rápida e descartável.

Mas o que pensar de nós, empreendedoras, que estamos com ideias, sonhos e conhecimento prontos para serem aplicados? É verdade que a forma de moda que citei, o Fast Fashion, não dá muita chance para a criação ou inovação.

É aí que entramos. O poder de escolha do consumidor e sua visão mais ampla da sua presença participativa da sociedade demanda para gente um modo de fazer moda que pense mais nas pessoas do que no consumo.

O Slow Fashion é um movimento relativamente recente que atraiu pessoas que questionavam a forma descartável que usamos roupas, sem levar uma autenticidade para quem usa. Conceitos como este, além da inovação, são fatores que proporcionam ao Slow Fashion o espaço para pensar: O que a moda pode fazer realmente para contribuir com o mundo?

É por isso que alguns empreendimentos investem no design, no fator criativo e na economia sustentável para criar soluções reais para o uso de roupas na vida cotidiana das pessoas. Nós não queremos só ficar lindas. Queremos ficar lindas, autenticas, confortáveis e engajadas em nosso espaço.

Então, porque não reinventarmos a moda que conhecemos e investir nossas necessidades, desejos e soluções reais no mercado?

O Slow Fashion surgiu com este intuito. O fator humano é ponto principal do movimento, onde a atenção é voltada para a humanização da cadeia de produção e de consumo. Costureiras e Costureiros são reconhecidos em suas produções, criativos pensam em todos os aspectos da vida do consumidor para gerar uma real identificação com sua marca, o consumo é revisto no âmbito individual, como construção de identidade, e no âmbito coletivo, como ação de transformação da sociedade.

Este é um mercado que ganhou força nos últimos tempos, merece um olhar atento para quem busca empreender na área ou já é atuante. Há diversos parceiros que podem acrescentar ao Slow Fashion e você pode ser mais uma agente do movimento que visa quebrar padrões nocivos do mercado da moda.

Espero muito que tenha gostado destes insights e que possa contribuir com sua caminhada empreendedora. Compartilhe este texto com todos que acharem importante e não deixe de comentar aqui ou nas plataformas sociais a sua sugestão, ideias, críticas e mensagens.

Se quiserem que eu fale mais sobre o assunto, comentem lá no insta!

Um beijo, tchau!

nov 6, 2018

Desânimo durante a carreira. Vamos falar sobre isso?

Opa, tudo bom?

Uma das preocupações que recebo e que todo mundo que decide caminhar pela carreira empreendedora tem é o desânimo durante a carreira. Vamos falar sobre isso?

Bom, primeiramente, quero falar com você sobre o que a gente vê por aí. Muita animação, atividade e energia, principalmente no feed. Assim, podemos pensar que há pessoas que nunca ficam desanimadas, e isso não é verdade! É totalmente normal nos sentirmos desanimadas com algo. É um sentimento que, sem exageros e anormalidade, indica algo na nossa vida de deve ser aceito ou mudado. Até aí, parece fácil né? Mas e quando o desânimo não termina?

É para ficar em alerta, moça. Aqui, vou falar com o que é real, o que no plano da ação pode ser realizado.

Calma, amiga! Vou te ajudar.

Todas e todos nós temos conflitos mentais e emocionais que podem refletir com sentimentos negativos e sintomas físicos, inclusive. É fundamental você identifica-as através da ampliação do seu olhar perante às suas ações. No bom português, é você olhar para o seu presente e passado, sem fragmentar a sua realidade em crenças, e ver como seu conflito age nas suas escolhas e ações. Não é fácil, já vou te avisando! Sozinha não é possível, vai ser importante você ter o acompanhamento de um profissional da área da saúde mental (um psicólogo/psiquiatra/terapeuta).

Se você conseguiu observar os seus conflitos e como eles atuam em você, é preciso sempre lembrar de algumas coisas:

  • O pensamento, na maioria das vezes, é mentiroso;
  • Mudanças abruptas são ilusões;
  • Trabalhe sempre com o real.

 

Sobre o pensamento, o que quero dizer é que na grande maioria os seus pensamentos são estruturados também sob a influência dos seus conflitos. Então, pode ocorrer de vir pensamentos que não são verdadeiros, como: “no que as pessoas vão pensar? ” Ou “Não sou capaz de fazer isso”. O que o pensamento das pessoas, vai mudar na sua realidade? Os pensamentos alheios são realmente importantes para o que você faz? Você, já observou melhor as suas realizações de vida para constatar que não é capaz? Qual é o primeiro passo para se tornar mais capaz de realizar algo?

Percebe que, quando olhamos para nós com mais distância, afeto e sensatez, as coisas mudam um pouco?

Outra coisa que a gente se ilude é as mudanças. A gente tem a ânsia de mudar tudo rapidamente. Internamente, a gente precisa viver com consciência cada passo que damos para a evolução acontecer e, assim, haver mudança de verdade. Se a gente faz, por exemplo, academia 5 horas por dia, durante 5 dias da semana, do nada, essa rotina não vai se sustentar por muito tempo, tenho certeza! Sabe o porquê? Por que você agiu na ânsia, na euforia, não esteve presente por inteira. E com certeza seus conflitos irão te vencer, e o desânimo vai voltar com mais força.

Então respira, amiga. Respira com calma e se reconecte com sua essência.

É assim que quero te ver, sorrindo!

Volta para a sua existência e observe que primeiro passo você pode dar agora. Viu que conseguiu dar o primeiro passo? Dá o segundo. Depois o terceiro, o quarto e assim por diante. Não espere as coisas mudarem em você para agir. Se movimente para ver as coisas mudarem em você. Não é fácil, eu sei. Mas as coisas realmente mudam se você conseguir.

É provável que, nessa caminhada, você imagine e pense diversas coisas só para você voltar ao que era antes, de volta à zona de conforto dos seus conflitos. Talvez você queira barganhar com estes pensamentos e caia na armadilha deles. Lembra que, na maioria das vezes, o pensamento é mentiroso?

Então, volte sua atenção sempre para o real. O que você vê? O que você fez? Suas realizações mudaram sua vida? Faça estes questionamentos para você mesma e compare com o seu primeiro, segundo, talvez até o seu terceiro pensamento. Sempre ampliando a sua atenção para suas realizações. Assim você até consegue sentir prazer por ter conseguido fazer alguma coisa que imaginava não conseguir. E é bom comemorar, faz parte da caminhada!

Lembre-se: O desânimo em si não é ruim. É só um sentimento seu, como qualquer outro. O problema é quando há sofrimento e/ou um padrão que prejudica você e os outros ao seu redor. Procure ajuda profissional para cuidar do seu coração e da sua mente. Eles são importantes demais para serem deixados de lado.

Espero muito que este texto te ajude a se sentir um pouquinho melhor! Aqui eu montei este texto baseado na linha existencialista da psicologia. Mas existem outras linhas que podem ser mais compatíveis com você. Pesquise, experimente até achar uma forma que se sinta bem. Compartilhe este texto com mais pessoas e assim você estará ajudando-as a se livrarem de um sofrimento na vida delas. Olha que incrível!

Tem sugestão de tema? Comenta lá no @elasonhaelafaz que terei o prazer de ler!

Um beijo, tchau!