Arquivos da tag: #dicas #feminismo #mansplaining #bropriating #manterrupting #luta #bemestar #mulher

jan 22, 2019

10 mulheres que foram excepcionais em 2018

Opa, tudo bem?

Em 2018, como já mencionei várias vezes, tivemos grandes desafios e oportunidades no empreendedorismo.

Muitas mulheres se destacaram por seu trabalho, sua personalidade, representatividade e luta para que as relações sejam mais justas entre homens e mulheres.

Hoje, eu vou destacar 10 mulheres que foram excepcionais em 2018 e são inspirações enormes para a nossa carreira. Vamos lá?

De acordo com a Revista Forbes:

1) Angela Merkel

  • Ela se tornou a primeira chanceler mulher da Alemanha em 2005 e está cumprindo seu quarto mandato.
  • Merkel continua a ser uma figura de liderança na Europa, representando a maior economia do continente, depois de conduzir a Alemanha através de uma crise financeira para um exponencial crescimento.
  • Seu mandato é simbolizado pela presença fortemente reservada, por enfrentar Donald Trump e abrir as fronteiras da Alemanha para mais de um milhão de refugiados sírios.

2) Thereza May

  • Ela se tornou primeira-ministra da Grã-Bretanha em julho de 2016.
  • Seu trabalho é marcado principalmente por intermediar a negociação da saída da União Europeia com grupos sociais e a ala política.

3) Christine Lagarde

  • Lagarde lidera o FMI desde 2011, fornecendo supervisão financeira e orientação para sues 189 países membros, incluindo China, Rússia e Reino Unido
  • Ela enfrentou grandes crises mundiais e uma eminente guerra comercial entre EUA e China
  • Desde a crise de 2008, Lagarde faz um discurso de união de pensamentos e reformas de gênero na área.

4) Mary Barra

  • Mary investiu bilhões em veículos elétricos, carros autônomos e um serviço de compartilhamento de viagens chamado “Maven” para garantir o futuro da GM
  • A GM ficou em primeiro lugar no relatório global de 2018 sobre igualdade de gênero. Foi uma das duas únicas empresas globais que não tem diferenças salariais entre homens e mulheres.
  • Mesmo enfrentando uma crise na GM, Mary conseguiu causar uma boa impressão para acionistas, subindo os preços das ações da GM em 5%.

5) Abigail Johnson

  • Ela se tornou CEO da Fidelity Investiments, uma gigante do fundo mútuo que seu avô fundou em 2014. Ela foi nomeada presidente em 2016.
  • Abigail possui participação por volta de 24,5% da empresa, que tem cerca de 2,5 trilhões de dólares em ativos gerenciados.
  • Sua carreira é marcada pela falta de medo em abalar as coisas na empresa de 72 anos, deixando de lado seus fundos mútuos para focar em novas soluções.
  • Ela está estrategicamente priorizando mulheres em seu trabalho, superando uma mudança de US$22 trilhões em ativos para o segmento feminino.

6) Melinda Gates

  • Melinda mantém sua posição como a mais poderosa filantropa, sendo co-presidente da Fundação Bill e Melinda Gates.
  • Fundada em 2000, é a maior fundação de caridade privada do mundo, com um fundo fiduciário de US$ 40 bilhões.
  • Seu trabalho tem se tornado mais notado ao moldar a estratégia da fundação, a fim de resolver assuntos globais difíceis, como a educação, pobreza e também a contracepção e o saneamento.
  • Melinda também dedicou seu trabalhou em prol dos direitos das mulheres e meninas.

7) Susan Wojcicki

  • Susan é CEO do Youtube desde fevereiro e 2014, com uma base de 1,9 bilhões de usuários fiéis mensais.
  • Em 1999, Wojcicki tornou-se a 16ª funcionária do Google. Em 2006, ela defendeu a aquisição do Youtube por US$ 1,65 bilhões.
  • O site agora vale cerca de US$ 90 bilhões.
  • Ela encontrou dificuldades em manter conteúdo pertubador fora da plataforma, mas conseguiu evitar os escândalos que afetam o Facebook.

8) Ana Patricia Botín

  • Botín tornou-se presidente do Grupo Santander em 2014, após a morte súbita do seu pai, Emilio.
  • Ela tem defendido o segmento das fintechs, focar empreendedores, apoiando pequenas empresas e empresas lideradas por mulheres.
  • Ana lançou o Santander X para apoiar o empreendedorismo universitário a ajudou a criar a primeira plataforma multi setorial baseada em blockchain da Espanha.

9) Marillyn Hewson

  • CEO da Lockheed Martin desde 2013, Hewson habilmente dirigiu a posição da empresa de defesa na vanguarda da segurança, setor aeroespacial e tecnologia.
  • Em 2017, a empresa faturou US$51 bilhões, quase 70% do governo dos EUA.
  • O programa de jatos de combate F-35 e outros desenvolvimentos que atendem às necessidades militares modernos ajudaram a aumentar o valor de mercado para quase US$100 Bilhões.
  • Para permanecer na frente da inovação, a Lockheed Martin está desenvolvendo uma aeronave supersônica que quebra a barreira do som sem um boom sônico.

10) Ginni Rometty

  • Líder há 36 anos da icônica empresa de tecnologia, Rometty liderou a transição da IBM para uma empresa focada em dados.
  • Metade da receita de US$79,1 bilhões da IBM em 2017 vem dos segmentos emergentes e de alto valor em TI, em comparação com seus produtos de software legados.
  • Ginni colocou a computação cognitiva no centro de sua estratégia para o futuro e fez apostas massivas em blockchain e computação quântica.
  • Em outubro de 2018, a IBM comprou a Red Hat por US$34 bilhões, colocando a empresa em posição de competir com a Amazon e a Microsoft na computação em nuvem.
  • Esforços contínuos para manter as mulheres no mercado de trabalho incluem licença parental estendida, um programa de entrega de leite materno e retornos.

E aí, conhece alguma delas? Conta mais para gente sobre!

Quer conhecer outros nomes importantes em 2018? Entra nesse link.

Compartilhe este conteúdo para que mais pessoas sejam inspiradas!

Um beijo, tchau!

maio 23, 2018

3 momentos em que ser mulher foi difícil

Opa, meu povo! Tudo bem com vocês? Seguimos na luta por nossos sonhos e, com isso, muitos desafios surgem, principalmente para nós mulheres. Compartilho com vocês 3 momentos em que ser mulher foi difícil. Vamos lá?

Durante as últimas semanas vi muitas notícias de mulheres que sofreram diversos tipos de abusos e violência. É uma luta que vai muito além do que abordamos aqui (no caso, o empreendedorismo feminino) e temos sim a necessidade de extrapolar os limites da luta por igualdades!

Quanto mais eu me informo e estudo sobre a pauta feminista, mais vejo episódios de assédio, abuso e violência que as pessoas ao meu redor sofreram (e até eu mesma sofri). Por isso, eu quero começar compartilhando 3 momentos em que ser mulher foi difícil.

3 momentos em que ser mulher foi difícil #elasonhaelafaz

Ainda há muito o que fazer para sermos o que somos em paz. Foto: Pexels

  1. Quando duvidam do meu conhecimento e inteligência

A imagem geral de que mulheres são menos inteligentes e sabem menos é algo sutil, mas que diminui à força a nossa imagem como empreendedora. Quem nunca ficou ouvindo um cara explicando uma coisa que já sabia de trás para frente? Paciência, hein! A situação é grave e já ocorreu com DIVERSAS mulheres. Tanto que esta situação tem um nome: mansplaining. Por mais que demonstremos habilidade e conhecimento em alguma coisa, sempre vai ter um homem querendo explicar algo que já sabemos, numa forma de aumentar seu ego, diminuindo a imagem de uma mulher.

  1. Quando me interrompem a todo momento para falar

Falar por si mesma é tão simples e tão desafiador quando se tem um homem nos interrompendo, não é mesmo? O mínimo respeito de fala em um ambiente de diálogo desaparece quando uma mulher está no meio. Isso porque no geral, existe uma ideia desigual de que a fala de uma mulher possui menos peso do que a fala de um homem. Mesmo que você tenha credibilidade ou alto cargo, em algum momento você será interrompida diversas vezes e, se você não tiver jogo de cintura para contornar esta situação, é bem capaz de que você nem consiga mais falar no ambiente que se encontra. Isso também tem nome! Se chama manterrupting.

  1. Quando se apropriam de uma ideia criada por mim

Não somente se apropriar, mas também levar o crédito pela ideia (!!!) também acontece. Muitas vezes, a ideia foi expressa no ambiente e mesmo o homem se apropriando sem nenhum pudor, as pessoas validam a fala dele. O bropriating afeta as mulheres no mercado de trabalho, principalmente na ascensão de cargos de liderança, porque dificilmente ela será vista como uma pessoa que possui boas ideias, mesmo sendo ela a criadora de algumas delas, pois terá algum homem levando o crédito por suas ideias.

3 momentos em que ser mulher foi difícil #elasonhaelafaz

O Sol brilha para todas! Não vamos deixar de ser o que somos. #elasonhaelafaz Foto: Pexels

Estas definições e alguns outros exemplos podem ser encontrados neste link. É muito importante identificarmos as formas de abuso, até as mais sutis, para que possamos nos empoderar e garantir igualdade no mercado de trabalho e nos outros âmbitos da nossa vida.

Espero muito que tenha gostado do texto! Compartilhe com quem achar especial e comente aqui se você já sofreu alguns destes abusos ou se tem outros tipos que não mencionei aqui.

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri