Arquivos da tag: empreender

jan 24, 2019

O que é ser empreendedora e o que é empreender?

Opa, tudo bom?

Durante minha vida no empreendedorismo, este fenômeno como todo e até mesmo o seu significado foram se formando, tomando corpo.

São 10 anos olhando para as pessoas, para o mercado e encontrando espaços onde soluções inovadoras pudessem ser usufruídas por pessoas e organizações. Antes, tínhamos que contar muito com o “feeling”, com nossa intuição.

Hoje, é mais fácil compreender as capacidades e características que constituem a ação de empreender e o que é uma empreendedora.

Por isso, quero compartilhar com você uma análise do que é ser empreendedora e o que é empreender. Daqui você vai poder observar com mais clareza as suas capacidades e o ambiente que você está, de forma a agir com mais certeza no empreendedorismo.

Como existiu o empreendedorismo?

Antigamente, as ações empresariais eram baseadas na ação organizacional. Ou seja, era necessário um grupo de pessoas se organizarem, estabelecerem funções para alcançar um objetivo comum.

O próprio ato de se organizar era algo descentralizado. Pessoas eram parte de um todo que trabalhavam para esta estrutura crescer e, com isso, se beneficiar individualmente.

Só que a tecnologia foi evoluindo, pessoas também foram evoluindo. A sociedade foi mudando. A gente foi percebendo que existiam pessoas que eram capazes de concentrar esta ação empresarial de se organizar, traçar diretrizes e manter uma relação profissional entre pessoas que gerasse lucro.

Foi aí que começou a ser construída a imagem do empreendedor.

Foi visto que este fenômeno se baseava em alguns campos teóricos como economia, administração e psicologia, e também tinha uma capacidade de juntar este conhecimento para criar novas formas de organizações e de trabalho.

As formas de se organizar na sociedade para gerar trabalho foram mudando. As relações se tornaram mais fluidas, não somos só uma engrenagem de um maquinário e não nos limitamos a só um campo de conhecimento.

Hoje, para ser empreendedora, não é possível só saber administração. Ou só comunicação. Ou qualquer outro campo.

Através deste fenômeno, pessoas se tornaram aptas para trabalhar com sua personalidade e vontade de levar soluções inovadoras para as pessoas. Ocupar um espaço no mercado de forma a fazer diferente.

No geral, o empreendedor e o fenômeno empreendedor se relacionam da seguinte forma:

Dimensão cognitiva/visão empreendedora

Aqui é onde se situa a nossa habilidade de conectar informações e produzir conhecimento que gere ações inovadoras. Através da nossa observação do mercado, da nossa inteligência (dimensão cognitiva) levamos para as pessoas produtos e serviços que atendam de forma não só diferente, mas também melhor de acordo com as necessidades do momento (visão empreendedora).

Dimensão Praxiológica/Ação Empreendedora

Aqui a gente encontra a capacidade do indivíduo empreendedor de reunir pessoas e grupos e concentrar em si a energia que movimenta estas relações. É através da sua capacidade de se posicionar e configurar seu network para que se movimentem em prol do objetivo empreendedor.

 A capacidade de se comunicar, de se relacionar com as pessoas de forma assertiva e baseada na visão empreendedora, de forma que sua rede trabalhe em sinergia para que a próximo campo funcione.

Dimensão Estrutural/Sobreposição Empreendedora

Aqui, com a ação organizacional do empreendedor realizada com sinergia, se dá a existência da dimensão estrutural, que é a materialização da solução inovadora, seja ela um produto ou serviço.

Através da materialização da solução, o empreendedor alcança a tangibilidade do seu objetivo. Então, ocorre o trabalho de colocar esta solução na lacuna vazia das necessidades da sociedade.

O interessante dessa análise é que percebemos que o indivíduo empreendedor e o fenômeno empreendedorismo se complementam. Sem a parte teórica da figura do empreendedor, não é possível encontrar o fenômeno empreendedorismo.

Para cada parte teórica que compõe o campo da pessoa empreendedora, é necessário que a o fenômeno, a manifestação empreendedora ocorra. É entender o que é empreendedor para agir através do fenômeno empreendedorismo.

Espero que através deste texto, você possa compreender melhor o seu papel como uma empreendedora e saiba como agir para que o empreendedorismo continue a transformar a vida das pessoas, incluindo a sua.

Compartilhe este texto e não deixe de comentar se tem alguma dúvida, crítica ou sugestão.

Um beijo, tchau!

Referência: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/ESO-C1701.pdf

jan 16, 2019

3 autoras que falam sobre empreendedorismo

Opa, tudo bom?

Um grande prazer meu, e acredito que pode ser seu também, é conversar e trocar ideias com outras mulheres empreendedoras.

É enriquecedor poder trocar experiências, não só de empreendedorismo, mas do empreendedorismo do ponto de vista da mulher.

E como, em alguns momentos, você pode se encontrar um pouco solitária nesta caminhada, é importante você desenvolver seu networking para o bem-estar da sua carreira e da sua mente.

Caso trocar ideias, conversar com outras mulheres não seja o seu forte, não precisa culpar sua introspecção e timidez! Nada como um bom livro pra gente “conversar” com a autora, não é verdade?

Por isso e outros motivos, quero compartilhar com vocês 3 autoras que falam sobre empreendedorismo. Vamos lá?

1) Sophia Amoruso – Girl Boss

Eu já falei sobre este livro no meu canal. Faz alguns anos que eu li e pude ter grandes inspirações e lições através da história da autora. Questões essenciais como ter certeza que empreender é a sua praia, saber sobre riscos calculados são abordados de uma forma que eu achei incrível.

Para quem não conhece a Sophia, vou resumir BEM a história dela no empreendedorismo: Sophia começou aos 22 anos vendendo roupas usadas no eBay. Aos trancos e barrancos ela foi crescendo e desenvolvendo sua loja no eBay até que, 8 anos depois, ela se tornou CEO da Nasty Gal, uma loja virtual gigante, de mais de 100 milhões de dólares.

2) Linda Rottenberg – De Empreendedor e Louco Todo Mundo Tem Um Pouco. Perder o Juízo Pode Ser Um Bom Caminho

Se você conhece o empreendedorismo como é hoje, agradeça a ela. Linda Rottenberg foi pioneira no empreendedorismo global por 20 anos. Ela é formada pela Harvard College e pela Yale Law School e Co-fundadora do Endeavor Global, Inc. A partir da sua experiência profissional, da sua história como empreendedora, a autora ajuda você a entender e desenvolver o pensamento empreendedor. Algo que nos impulsiona, mas também nos paralisa e confunde se não a entendemos e conhecemos.

3) Liana Melo – Beleza Natural. A História da Rede de Cabeleireiros que Levantou a Autoestima das Brasileiras

Quem estudou um pouco dos casos mais conhecidos no empreendedorismo, com certeza já ouviu falar no Beleza Natural. O empreendimento que começou lá no Rio de Janeiro, depois de muitos testes, alguns que acabaram deixando o irmão de Zica careca, se tronou pioneiro no mercado de beleza voltado para os cabelos cacheados, junto com a parceria de Leila Velez.

A história do Beleza Natural é fundamental para você entender como um empreendimento atua na necessidade de grupos sociais e como a inovação pode levar até estes grupos uma solução. Zica Assis e Leila Velez, junto com seus sócios, são verdadeiras inspirações!

Espero muito que tenha gostado destas dicas! Tem mais alguma autora que você gosta e não encontrou aqui? Compartilha comigo aqui mesmo ou lá no perfil @elasonhaelafaz.

Compartilhe também este conteúdo para que outras mulheres conheçam a história de empreendedoras que cresceram com seus empreendimentos.

Um beijo, tchau!

jan 14, 2019

Conversa direta e clara: O que te impede de empreender?

Opa, tudo bom?

Já começo com esse choque de realidade: Você não avança mais por medo.

Sim, é duro. Sim, é difícil. E sim, eu também já tive momentos assim.

É normal do ser humano tomar uma ação mais protetiva quando a gente considera algo ameaçador.

Mas aí é que tá! O que é ameaçador? Será mesmo que tem fundamento a sua paralisia?

Agora a gente vai ter um papo bem direto e claro! Vamos conversar sobre o que te impede de começar?

Bora desconstruir juntas o que te faz travar e deixar agir o que você tem de bom, de potente e finalmente realizar seus desejos?

“Eu fracassei na minha última tentativa, Patricia.”

Bom, todo mundo tem uma experiência de fracasso. Não estou querendo desmerecer a sua, por favor! A questão é: Porque tem pessoas que conseguem se reerguer?

Quando a gente olha pro fracasso de uma forma mais ampla, observa os fatos que antecederam, a gente consegue tirar MUITO aprendizado. E segurança também, sabia?

“Mas como assim, Patricia?”

Quando você começou, na última tentativa, você com certeza não tinha conhecimento de algumas coisas que, naquele período de tempo, só a vivência ia te mostrar.

E você viveu, sentiu na pele o que deveria experimentar.

E olha, tá pra nascer aprendizado maior do que viver. Então, minha querida, você sabe exatamente que daquela forma, não é possível avançar.

E isto, caso você tenha percebido, dá uma segurança grande pra gente!

Então, ao invés de focar no que você deveria ter feito, que tal observar o que você aprendeu disto tudo? Que tal, também, adquirir novos conhecimentos a partir da nova perspectiva que o fracasso lhe proporcionou, hein?

“Patricia, eu não tenho situação financeira pra isso!”

Bom, quem me acompanha a mais tempo sabe do meu início no empreendedorismo. Não foi um passe de mágica e nunca vai ser! Inclusive, recomendo você ver o vídeo que eu gravei falando sobre como eu comecei.

Sendo ainda mais direta: Faça o que você pode, com o que tem, neste momento. Se você tem um trabalho fixo e quer ter seu próprio negócio, comece pequeno. Comece com os recursos que você tem.

Hoje, é possível baratear muito a sua produção, simplificar processos e otimizar o seu tempo.

Começando, você vai ter algo que é tão importante quanto dinheiro: Conhecimento de mercado.

“Patricia, até comecei, mas chega a um ponto que eu fico perdida!”

Olha, fico feliz que tenha dado o primeiro passo. Este passo já é desafiador. Comemore!

E sei que, com as tarefas rotineiras, o fato de que as contas chegam e você tem que ter dinheiro agora e, com isso, fica difícil pensar no futuro quando se tem coisas agora tirando a sua paz.

Mas, quando a gente começa, tem algumas ações que são FUNDAMENTAIS para você conseguir fazer as suas decisões no futuro.

Uma delas é o plano de negócio. Você precisa saber realmente como vai ser o seu empreendimento. Isso vai te economizar energia preciosa para lidar com o trabalho.

Segundo é o plano estratégico. Eu já falei sobre isso aqui no site e pode te ajudar muito a tomar decisões no futuro.

E um bônus: Planejamento criativo. Sim, existe uma forma de organizar o seu potencial criativo!

Ter este material em mãos vai fazer com que você veja com mais clareza o que pode tender a ocorrer no futuro, te dando mais segurança para fazer decisões estratégicas.

“Mas, no dia-a-dia, Patricia?”

Bom, aqui o que eu faço é listar minhas metas e organizá-las entre o que são relevantes para o meu negócio e o que não são tão importantes.

Depois eu fragmento as metas importantes em submetas e organizo entre os dias da semana. Assim eu não fico louca com tanta coisa na minha mente e consigo ser mais objetiva no meu trabalho!

Importante que isso aqui eu não considerei as tarefas que eu posso delegar, o que também ajuda demais!

Tem mais alguma coisa que te impede? Me conta! Minha experiência empreendedora pode te ajudar e terei o maior prazer em fazer isso.

Compartilha com aquela sua amiga ou amigo que quer empreender e não consegue começar. Ou com seu feed todo, também pode.

Um beijo, tchau!