Arquivos da tag: feminismo

dez 3, 2018

Nós fazemos o empreendedorismo espelhado nas ideias feministas e isto está sendo revolucionário.

Opa, tudo bom?

Nestes longos anos de carreira empreendedora, pude trocar ideias com diversas mulheres que sonham e fazem acontecer. Elas colocam as suas vidas em prol de uma carreira que levante o mercado, sempre baseado nas suas visões de sociedade.

Isso diz muito respeito às nossas posições acerca dos problemas da sociedade. Nesse ambiente que estamos, vamos falar obviamente de empreendedorismo feminino.

Sim, isto é também uma questão social. Nós fazemos o empreendedorismo espelhado nas ideias feministas e isto está sendo revolucionário. Sabe o porquê? Vou te mostrar agora!

1) Nós estamos decidindo por nós mesmas

Hoje temos um leve gosto da obviedade desta frase, mas até pouco tempo isto era bem difícil de ver na sociedade. Mulheres que fazem um negócio começar do zero e se tornar grandes empreendimentos são tão revolucionárias que, dentro do mercado, homens ainda sabem muito pouco como lidar com tanto poder e presença vindo delas (e de você também). E onde o feminismo entra nisto? A sociedade patriarcal é estruturada no homem como figura central. Famílias, grupos e organizações eram comandadas por homens e as mulheres tinham pouquíssima ou nenhuma força de decisão nestas camadas. O movimento feminista quer quebrar com esta desigualdade para atender também interesses de todas as mulheres que desejam ocupar estes papéis na sociedade.

2) O dinheiro que temos é fruto do nosso trabalho

As possibilidades e oportunidades que o dinheiro fornece pra gente é essencial pra nossa vida. Tanto que, hoje temos um mercado muito mais voltado para os interesses e necessidades REAIS das mulheres, não só por ocuparmos espaços de poder, mas por temos poder de compra. O dinheiro que temos atualmente é fruto do nosso próprio esforço. Não dependemos de homem para termos o que queremos, e isto é libertador. Lembra que falei da estrutura patriarcal? Então, como os homens que eram os provedores da casa, as mulheres não tinham remuneração por não terem um trabalho que não seja o trabalho doméstico. O dinheiro era dividido para a mulher da casa de acordo com a visão do homem e isto restringia a liberdade da mulher.

Nós escrevemos a nossa própria história.

3) Temos a chance de sermos encaradas igualmente nos espaços de trabalho

Ainda temos muito para caminhar, eu sei. Mas demos alguns passos no que se refere à diferença de pagamento para homens e mulheres. No início, as empreendedoras e executivas recebiam muito menos do que os homens recebiam, comparando o mesmo posto de trabalho. Por tamanha visão pejorativa da mulher nos espaços de trabalho, a mulher não tinha reconhecimento de seu potencial e competência, mesmo sendo maiores do que dos homens. Hoje temos uma oportunidade um pouco maior de encontrar postos de trabalhos com pagamentos justos para as mulheres. Além da crescente conscientização da sociedade como todo, mulheres podem ocupar espaços de trabalho e fazer a diferença sendo boas no que fazem e sendo justas nas suas relações de trabalho.

4) A alta segmentação de mercado também é boa para todas nós

Só a gente sabe a complexidade que é colocarmos todas numa definição de mulher. Até hoje esta pergunta não tem uma resposta simples. Isto porque há diversas mulheres que possuem visões, interesses, necessidades, problemas, privilégios e opressões diferentes. Como o empreendedorismo visa também inovar no mercado solucionando problemas que as diversas camadas da sociedade possuem, o empreendedorismo feminino pode dar uma atenção muito maior às necessidades dos segmentos da camada feminina da sociedade. Por dois motivos simples: empatia e vivência. Nós podemos perceber melhor o que a outra sente, entender mais profundamente a necessidade da outra e oferecer soluções mais inovadoras. E a vivência por simplesmente sabermos através da experiência de vida o que as mulheres em geral vivem por aí e precisam do mercado.

Você que pretende ou já trabalha numa carreira empreendedora, está fazendo muito mais do que simplesmente movimentar a economia e desenvolver o mercado. Você é mais um ponto de revolução neste mundão que já não se sustenta com a visão de que homens possuem uma posição acima das mulheres por motivos infundadas e preconceituosas. E está sendo maravilhoso poder estar aqui, inspirando e sendo inspirada por cada empreendedora que coloca sua cara a tapa pra fazer acontecer, quebrar padrões e fazer todas nós crescermos.

Espero que este texto tenha te ajudado a se inspirar no seu dia a dia e que tenha te transformado pra melhor. Comenta aqui ou nas minhas plataformas sociais o que você achou! Compartilhe este texto para que outras mulheres (e homens também) se inspirem e se desenvolvam profissionalmente.

Um beijo, tchau!

ago 10, 2018

Tudo repentino pode ser irreal, inclusive o sucesso.

Opa, tudo bom?

Com o tempo de carreira que eu tenho, posso dizer para você (e para mim mesma) que tudo repentino pode ser irreal, inclusive o sucesso. A gente vê por aí grandes nomes surgindo de uma hora para outra e bate na gente o desejo de ter este reconhecimento instantâneo. Dessa forma, a gente queima tudo que temos para correr desesperadamente para o estado que criamos ou somos apresentados.

Toda essa pressão que geramos e sofremos tende a nos acompanhar durante toda a vida e só nós sabemos o quanto pesa carregar expectativas de uma sociedade com problemas.

Vista isso. Tenha filho. Tenha filha. Não tenha filhos. Compre uma casa. Viaje para Grécia. Viaje. Não viaje. Faça tudo isso ou não faça nada disso antes dos 30 anos.

É quando estamos começando a avançar com a nossa autonomia como mulheres que vemos que o que é imposto para nós está nos níveis mais íntimos da nossa vida. Sim, ninguém disse para nós que será fácil, no entanto, temos que ficar atentas a todo tipo de imposição que é colocado em nossas vidas sem concordarmos com elas. Eu, como dona de uma empresa, passei por grandes provações. Hoje ainda tenho uma vida desafiadora por estar sempre lutando contra expectativas, preconceito por ser uma mulher no mundo corporativo e imposições da sociedade. Nada disso me abala, mas também nada disso deveria estar na mente das pessoas com tanta força como é hoje.

Tudo repentino pode ser irreal, inclusive o sucesso

Como você pode desafiar todas estas imposições?

Comece percebendo que cada um tem sua linha do tempo. Não há tempo limite para casar, largar o emprego, ter filhos, escolher o que quiser da sua vida. Ter clareza disso te blinda das cobranças e assim você tem o melhor da sua vida: o seu momento presente.

Porque você não tem prazo de validade. Ninguém tem. E se por acaso isso vier a tua mente, saiba que o seu sucesso virá, independentemente do tempo que levará. Por enquanto, olhe para trás e veja seus avanços até este momento. Perceba cada experiência que levou a ter uma postura mais madura, uma gratidão maior pela sua história, uma visão mais ampla de instantes de felicidade que se instalaram na sua vida. Enquanto seu presente estiver em progresso, não há expectativa no mundo que irá te fazer uma pessoa melhor. Concentre-se no seu caminho e acredite em você.

Espero que este texto tenha tocado você de forma a inspirar sua vida. Estou aqui para que você possa se desenvolver e ganhar autonomia na sua vida através do empreendedorismo. Compartilhe este conteúdo com mais pessoas e seja a inspiração na vida delas. Comente aqui embaixo o que achou do texto, suas experiências e sugestões de conteúdo.

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

jul 3, 2018

A colaboração vence a competição, na teoria e na prática.

Opa! Tudo bom? Hoje eu vim para mostrar que a colaboração vence a competição, na teoria e na prática! Vamos lá?

A frase “colaboração vence competição” é um mantra em várias áreas da vida. Seja ela social ou profissional, colaborar possui muito mais significado nas suas ações do que simplesmente alcançar o topo, não importando os meios para isso.

Não podemos ser hipócritas, ainda existe a competitividade no mundo corporativo e isso ainda serve para movimentar os negócios. No entanto, podemos e devemos incluir ações que construam uma ajuda mútua entre empresas. É uma forma de construção de marca, crescimento de vendas, participação no mercado… Seja qual for o seu objetivo, colaborar tem sido um caminho para alguns negócios.

Oficialmente, podemos definir a estratégia onde fazemos parceria com outra empresa e promovemos os dois serviços/produtos juntos por meio de um conjunto misto de recursos como co-marketing. É usado muito em empreendimentos que são B2B2C (Empresas que vendem para outras empresas, que vendem para consumidores) e aqui a gente vai usar esta estratégia como exemplo teórico para que você veja como é importante gerar colaboração com outros empreendimentos para que ambos possam oferecer o melhor para seus respectivos públicos.

Tá bom, mas e na prática? Como isso funciona?

Um exemplo que acontece a um bom tempo é com empresas de telecomunicações e serviços de streaming. As empresas colaboram entre si para que ambas possam aumentar suas vendas, fazendo a seguinte oferta: Adquira o plano X e ganhe Y de desconto na aquisição do Spotify.

Com certeza você já deve ter visto ofertas parecidas com essa, não é mesmo? Estas empresas viram que, seus serviços atendem à públicos próximos e decidiram colaborar entre si para que o consumidor saia ganhando, e as empresas também.

Agora, olhando para o seu negócio, quais empresas não concorrentes podem ser uma possibilidade de uma colaboração?

O que o seu serviço ou produto pode contribuir para um outro serviço ou produto se torne algo com mais recursos?

Essas perguntas serão facilmente respondidas se a seguinte questão está bem clara para você: Quem é o público que consome o serviço/produto do seu empreendimento?

É essencial que você conheça seu público-alvo para que o co-marketing atinja as expectativas. Então, agora você percebe que a colaboração vence a competição? Quero saber também: O que você, como empreendedora feminina faz para que outras empreendedoras consigam sua autonomia? Muito mais do que sucesso econômico, empreendimentos são feitos de significado para a sociedade!

E aí, gostou do texto? Então bora compartilhar com o povo? Vamos se ajudar e crescer juntas! Tem alguma experiência para compartilhar? Comenta aqui embaixo que vou adorar ler.

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

maio 25, 2018

Deixe que eu falo por mim mesma!

Deixe que eu falo por mim mesma! É tão difícil um homem entender isso? Deixar uma mulher se expressar e se comunicar dói tanto na sua masculinidade? Vem cá, você mulher, já foi interrompida por um homem ao falar? A situação é sutil, mas é séria! Vamos lá?

Espaços de discussão podem ser acalorados, sei muito bem! O mundo corporativo pode te engolir se não houver muita autoconfiança e firmeza. Isso fica amplificado quando é uma mulher no espaço de fala. Não só no mundo corporativo, mas no cotidiano e no mais simples momento, você mulher, já deve ter sido interrompida por um homem, principalmente quando este não concorda com suas ideias. A situação tem um termo sem tradução, se chama manterrupting. O nome foi citado lá em 2015, num artigo do “The New York Times” e de lá pra cá, muitas mulheres perceberam a sutil forma de serem oprimidas e diminuídas.

Podemos ver isso mais claramente em espaços de poder, onde uma mulher possui cargo de chefia ou posição importante. A fala dela dificilmente terá a atenção igual a fala de um homem e frequentemente será interrompida, numa forma de desvalidá-la. Um caso que é bem representativo é quando a Taylor Swift, no seu momento de agradecimento ao receber o prêmio de melhor vídeo feito na categoria feminina no MTV Video Music Awards, foi interrompida pelo Kenye West para declarar a torcida pela Beyoncé. O mais irônico é que ele desvalidou uma mulher para falar em nome de outra mulher. Questões do machismo.

fonte: http://www.desfavor.com/blog/wp-content/uploads/2017/03/ds-manterrupting.jpg

Imagem mais representativa, ainda não existe!

A gente se pergunta o motivo para isso acontecer, não é mesmo? Dizer que é só machismo pode ser raso. Uma das hipóteses levantadas por aí é que por muito tempo os homens é que tomavam as posições de lideranças e faziam decisões, enquanto a mulher possuía uma posição subalterna e cuidava da casa. Esta configuração está em mudança, as mulheres estão ocupando cargos de liderança, buscando espaço para participar como profissional competente, mas os homens veem isso como uma ameaça e acabam por agir assim para desvalidar a imagem da mulher enquanto tomadora de decisões e líder. Por isso, eu comecei falando aqui: Deixe que eu falo por mim mesma!

image by pexels

Mulheres, unidas!

Muitas mulheres estão lutando para se estabelecer como profissional e elas possuem tanto conhecimento quanto alguns homens que estão no mesmo barco. Então porque suas falas são tão desvalorizadas? E vocês, mulheres, saibam que sua presença, seu conhecimento, importa sim! Não se deixem levar pela pressão de serem interrompidas ou desvalidadas, porque machismo não pode passar em branco. Vai muito além de empreendedorismo, é a nossa vida em sociedade.

E aí, gostou do texto? Compartilhe com quem achar importante! Ah, que comente aqui se você já sofreu manterrupting e como foi. Quero todo mundo se ajudando!

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri