Arquivos da tag: negócios

maio 28, 2018

Você já pensou em ser uma franqueada?

Opa, tudo bom? Deixa eu perguntar: Você já pensou em ser uma fraqueada? Aqui eu vou explicar para você o que é, como funciona e se há possibilidade para você trabalhar assim. Vamos lá?

A gente ouve muito por aí a palavra franquia, não é mesmo? O modelo de negócio que estamos falando é bem famoso e já se espalhou pelo Brasil. Mas ainda tem gente que não entende muito bem o que significa esta palavra, além de ter dúvidas sobre como funciona. Por isso, eu vim para explicar tudo e descobrirmos juntas se este modelo poderá ser utilizado por você para empreender.

Se você já pensou em seu uma franqueada, deve ter pensado o que é Franquia, não é mesmo? De modo bem simples, é um modelo de negócio onde uma empresa que possui uma marca, patente, faz a concessão de uso para que outra empresa utilize a marca e o modo de produção. É uma forma da franqueadora ganhar território e promover uma estrutura produtiva e de marca pronta para empreendedoras e empreendedores.

Você já pensou em ser uma fraqueada? #elasonhaelafaz

É assim: Um contrato de concessão estabelecido entre as partes onde a Empresa dona da marca/patente libera os direitos de uso da marca ou produto/exploração comercial do que foi desenvolvido pela dona da marca. Quando se estabelece este vínculo, o empreendedor precisa receber treinamento adequado para reproduzir de forma fiel o produto, serviço, ponto de venda e uso da marca.

Há diversos termos que caracterizam a estrutura de Franquia. Vou falar alguns para você:

  • Royalty: Remuneração periódica paga pelo empreendedor que recebeu a concessão pelo uso da marca e serviços prestados pelo franqueador.
  • Taxa inicial: É a taxa de franquia que é paga logo após a assinatura do contrato. É um valor único estipulado para entrar no sistema.
  • Fundo de Propaganda: É um montante reunido pelo franqueado para adquirir materiais de marketing e propaganda conforme as regras de utilização da marca. Todo franqueado paga para manter este fundo e assim beneficiar toda a rede.
  • Conselho de Franqueados: Grupo de franqueados e o franqueador que se consultam e administram, sobretudo, o fundo de propaganda.

Depois de apresentar o básico do funcionamento de uma franquia, você pode estar ainda com dúvidas sobre que caminho seguir. Eu sei que você tem um sonho e deseja realiza-lo, mas a possibilidade de abrir um negócio que já tem uma estrutura consolidada pode atrair muito! Vamos comparar aqui as características de cada caminho.

Negócio próprio:

O ponto principal é a liberdade de lidar com o negócio da forma que você quiser. Não há franqueador para reportar ou estrutura para seguir. Você montará o seu negócio de acordo com o seu senso. Isso também requer mais responsabilidade! Além disso, é por você a conta de criar a marca, ter a ideia do empreendimento e criar ações de marketing para impulsionar o seu business. Isso requer a competência adequada para o sucesso do seu sonho.

Franquia:

Você começará a partir de uma marca estrutura testada, além de ter ajuda com ações de publicidade. É uma forma menos arriscada de começar, mas têm seus riscos como qualquer negócio. No entanto, você tem mais rigidez no comando, por conta da estrutura de negócio já formada e questões a serem cumpridas. A verificação do andamento da sua administração é algo que vai acontecer, fique sabendo! Mas tudo isso também vem com ajuda na abertura da empresa e em decisões como local do estabelecimento e treinamento.

São características que você, como empreendedora, deve avaliar para escolher algo que se alinhe com a sua forma de trabalhar. Você já pensou em ser uma fraqueada? Em ambas as partes a sua dedicação e profissionalismo vão ser bem requeridas. Caso queira saber mais, nesse link tem uma webnar do SEBRAE que vale a pena ver.

Espero que goste do conteúdo! Me avise aqui nos comentários se você quer ver mais conteúdo relacionado ou outro tema. Compartilhe este texto com quem achar importante! Será de ajuda para estas pessoas.

Um beijo, tchau!

mar 14, 2018

Como organizar a produção do meu produto?

Opa, meu povo! Tudo bom com vocês? A pergunta “Como organizar a produção do meu produto?” é ainda sem resposta para as pessoas. Mas aqui, vou te dar umas dicas para organizar seu negócio da forma mais adequada. Vem ver!

De uns tempos para cá, temos percebido muitas mudanças tecnológicas, não é mesmo? No nosso cotidiano, a gente consegue observar as inovações e novos produtos que estão em lançamento. De forma geral, podemos ver que são apresentadas diversas possibilidades de produtos, numa escala reduzida.

Você tem muitas opções de produtos, mas tem pouco estoque por aí. Isso se dá pelo comportamento mais criterioso do consumidor, que direciona a forma que lidamos com bens e serviços e impulsiona transformações no modo de produção.

Agora, partindo para o seu negócio ou futuro negócio, fica a dúvida: Como organizar a produção do meu produto? Vou te dar algumas dicas e depois você observa qual é a melhor forma para o seu business. Vamos lá?

A primeira forma de produção é umas das primeiras formas concebidas. Lá no início da Revolução Industrial, um dono de fábrica de carros pensou numa forma bem legal de produzir seus carros.

Através de três conceitos, ele formou uma linha de produção rápida, produtos bem mais baratos e acessíveis, mas que tinha pouquíssima possibilidade de customização. Os três conceitos são:

  • Intensificação: Diminuir o tempo de produção, fazendo com que o trabalho vá até o colaborador.
  • Economicidade: O objetivo era diminuir o estoque de produtos feitos diminuindo a quantidade de etapas da produção até o consumidor (integração vertical) e aumentar os centros de distribuição e espalhar pelo território (integração horizontal).
  • Produtividade: Era importante ter um trabalhador especializado numa função para aumentar a produção.

Dessa forma, se fazia muito, em pouco tempo, com custo mais baixo, mas com pouca possibilidade de mudanças no produto final.

Henry Ford - Fordismo - #elasonhaelafaz image by http://leandronazareth.blogspot.com.br

Olha o tal dono de fábrica de carros! O nome dele é Henry Ford.

Depois de muitas experiências, testes e a própria mudança de comportamento do consumidor em geral, foi percebendo que o produto com alta possibilidade de customização e alinhado a ideais como sustentabilidade e inclusão social, por exemplo.

E no lado de quem produz, foi se questionando muito mais o valor do trabalho, no sentido de reconhecer um significado que dê importância ao trabalho realizado, além da possibilidade de contribuição intelectual e no conhecimento formado no ambiente de trabalho.

Resumindo, a inovação é um dos pontos de regem o mercado atualmente. Mas como levar estes conceitos para o negócio recém-aberto ou ainda na fase de projeto? É bem simples! Tem alguns conceitos que podem te ajudar:

  • Organização corporativa mais horizontal: Com muitas etapas na tomada de decisão, o processo fica mais burocrático e não dá espaço para novas ideias e conhecimento da base, que é quem bota a mão na massa. Por isso, foi pensado num conceito organizacional mais horizontal. O conceito se distancia da verticalidade e deixa a empresa mais informal, onde todos as pessoas se unem para tomada de decisões e contribui com o que sabe. É um espaço mais democrático, interessante para o colaborador, que se sente importante e melhor para surgirem novas ideias.
  • Flexibilidade de trabalho: Ficar preso a uma função por muito tempo acaba desanimando o colaborador. Aliás, hoje em dia, todo mundo fica desanimado com uma situação dessas, né? Nós, empreendedoras, mais ainda! Nada de ficar na mesmice. A ideia é flexibilizar as funções com a equipe para que todos saibam sobre o resultado do trabalho, poder conhecer todo o processo e contribuir com soluções que melhorem a produção.
  • Trabalho em equipe: A união de colaboradores para um objetivo em comum foi vista como uma forma de alcançar o sucesso. Através da atenção com outro, liberdade para discussão, alto comprometimento com a equipe, facilidade para tomar decisões em equipe, é possível formar um ambiente de trabalho mais produtivo para o negócio e mais motivador para os colaboradores.
brainstorming - image by freepik

Organizações horizontais: Mais ideias, menos burocracia!

Com as diversas possibilidades tecnológicas, é possível atuar de forma mais horizontal, atender os nichos com mais atenção à suas necessidades e construir uma imagem corporativa mais alinhada aos anseios da sociedade. Lembrando que aqui neste texto eu trouxe duas formas BEM distintas e que entre elas há outras formas que foram pensadas ao longo do tempo e das mudanças no mundo.

Ache nestas ideias, uma forma que você ache que vai dar certo com a proposta do empreendimento e mão na massa! Com a ação, você vai descobrindo desafios e soluções para o seu business.

E aí, gostou do texto? Espero que sim! Compartilhe este conteúdo com outras empreendedoras e ajude-as a também conseguirem realizar seus sonhos através do empreendedorismo. Tem alguma dica, crítica ou elogio? Comente aqui embaixo que eu estou sempre de olho!

Um beijo, tchau!

*****

Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo que envolve o universo #elasonhaelafaz.

http://bit.ly/ListaDaPatri

jan 9, 2018

SAIBA COMO PERSUADIR E CONVENCER

Conheça agora dicas importantes para você saber persuadir e convencer as pessoas!

Opa! Tudo bom com você? A gente sabe que a comunicação é um dos fundamentos mais importantes, não só para empreendedoras, mas para qualquer pessoa durante a vida profissional e pessoal, não é mesmo? Mas indo para a nossa área, é preciso também ser convincente e ter poder de persuasão para alcançar alguns dos nossos objetivos. E é isso que eu vou te ensinar pra você AGORA! Saiba como você pode convencer e persuadir as pessoas e se tornar expert em influência. Fica aqui que o texto vai ser bom!

Eu já começo lembrando você que é importantíssimo usar a persuasão com ética. Ser honesta com as pessoas te leva ainda mais perto de suas conquistas e constrói uma ótima reputação com seus parceiros. Ao terminar de ler este texto, você também vai poder identificar com muito mais clareza se alguém está tentando te persuadir de uma forma não muito legal e sair desta furada. Legal, né?

Continuando, eu vou te mostrar que as técnicas de persuasão e influência podem ser aprendidas e aplicadas por qualquer pessoa, e não um “dom” que só aparece com certas pessoas. Óbvio que há pessoas que são extremamente boas quando se trata de convencer as pessoas. Mas elas apenas conhecem e aplicam muito bem estas técnicas que vou te mostrar agora.

 

Como persuadir e convercer - #elasonhaelafaz

Convencidas de que foi uma delícia?

 

Primeiramente eu vou falar de algo que parece não ter muito sentido, mas que inconscientemente funciona muito bem. Eu estou falando do espelhamento. Nada mais é do que você imitar os movimentos da pessoa com um pouquinho de atraso. Se a pessoa mexer no cabelo, por exemplo, você pode mexer também após uns segundos depois. Se a pessoa se ajeitar na cadeira, você também se ajeita. Sempre com uns 6 segundos de atraso. Assim, de forma inconsciente, a pessoa que está falando com você vai criar empatia com você e tratar melhor o que você falar. Fique atenta também se alguém já fez isso com você! Isso pode ser um grande indício de que esta pessoa está querendo que você crie empatia por ela. Se você lembra algum caso, conta pra mim!

 

A segunda dica que eu vou dar pra vocês funciona melhor para os casos onde você precisa expor pela primeira vez uma ideia para alguém, que é o timing correto. Vou explicar pra você: é quando a pessoa que vai ouvir está relativamente cansada mentalmente e você utiliza deste momento para expor sua ideia e receber uma aceitação mais rápida. A pessoa acaba por receber de forma mais fácil esta informação por estar mais cansada e querer prosseguir com a conversa, consegue entender? Assim, a pessoa pelo menos ouviu o que você tinha pra dizer e numa outra oportunidade você pode continuar a convencê-lo e ter mais chances de sucesso no seu objetivo. Então, por exemplo, se você quer que um familiar que não é muito aberto a novas ideias ouça como vai ser seu novo empreendimento, tente conversar com este familiar no final da tarde ou à noite. Lance a sementinha e deixe florescer. Mas não se esqueça de regar! Já aconteceu algo parecido com você?

Continuando, vou falar pra você uma dica que com certeza você já viu por aí! É a famosa escassez. É a técnica de mostrar escassez em certo produto ou serviço para que desperte o imediatismo na pessoa em comprar e não dizer “ah, vou pensar direitinho e amanhã eu vejo, tá?”. Isso acontece muito com comércio, cursos, serviços… Muitos lugares! Fique ligada e tente aplicar isso no seu trabalho, sempre de forma ética, viu?

Fora estas dicas, você também precisa de uma postura que se relacione com as empreendedoras que foram bem sucedidas nos seus empreendimentos. Por isso, não deixe de ler este post! Ainda tem muitas técnicas para você ser uma pessoa mais convincente e influente, por isso deixarei aqui dois vídeos onde falo sobre persuasão. Este e este!

 

Gostou do texto? Conhece alguém assim? Comenta aqui embaixo e me diz o que achou. Vou adorar ler!

Um beijo, tchau!

***
Assine a newsletter e receba informações valiosas

sobre empreendedorismo e tudo sobre o universo #elasonhaelafaz.