dez 17, 2018

A sua comunidade tem valor. Do tamanho que tiver

Opa, tudo bom?

Veremos aqui que, não só as audiências enormes que vemos nas influenciadoras famosas convertem em rentabilidade. Micro comunidades possuem vantagens.

Desta vez, vamos falar um pouco mais sobre o mercado de influenciadores digitais, um tipo de negócio digital que simboliza muito o trabalho na internet, mesmo sabendo que existem inúmeros outros meios de trabalho.

O poder de fala, de se comunicar de forma cativante e intimista, tomou o poder do tradicional meio de publicidade com figuras que representem os desejos e necessidades do público.

Com a fama, competência e inovação, influenciadores ganham cada vez mais pessoas para a sua comunidade. Isto reflete em alta audiência e com isso, grandes marcas se interessam por este vínculo valioso.

No entanto, com o progressivo conhecimento do mercado e estudos de caso, vemos que os micros influenciadores possuem uma vantagem sobre os grandes.

Justamente o que achamos ser a grande vantagem dos mega influenciadores, o vínculo com sua comunidade, se torna ainda mais forte com os micro influenciadores.

Mas como assim?

Bom, vou explicar. A grande sacada do trabalho de conteúdo e relacionamento com uma comunidade é justamente este vínculo tão próximo.

Não é um trabalho fácil e se torna um desafio cada vez maior conforme sua comunidade cresce.

Estabelecer um vínculo com cada pessoa pertencente da comunidade fica mais difícil quando temos milhões e milhões querendo atenção, comunicando e esperando conteúdo segmentado.

É aí que vemos a diferença com o micro influenciador. Sua comunidade pode ter vínculo maior.

Dessa forma, métricas como engajamento, impressões e conversão são maiores em relação aos mega influenciadores.

Marcas e agências já perceberam esta diferença e viram que investir em micro influenciadores pode resultar em maior conversão para o seu negócio.

No entanto, ambas as partes (influenciador e marca) devem ter uma boa percepção da comunidade que vão atuar, pois são grupos bem segmentados.

A relação entre o interesse da marca e a capacidade criativa do micro influenciador deve estar com uma boa sintonia.

Não se engane, isto não acontece da noite para o dia e devemos ter muito conhecimento do público.

Se você é micro influenciadora ou é uma marca que busca desenvolver estratégias de marketing com maior engajamento, fique atenta à comunidade que atua.

O grande tesouro da comunicação online é o vínculo que possuímos com o grupo que pertencemos e a transformação que você busca levar para a sua comunidade.

Não desanime se ainda não está vivendo a sua expectativa de ser uma mega influenciadora. Você tem uma moeda poderosa nas mãos.

A comunidade será sua base. Trate-a com atenção e inovação.

Espero que tenha gostado destas dicas e que faça bom proveito delas para o seu empreendimento.

Compartilhe este texto e ajude a mais micro influenciadoras a se desenvolverem e fazerem do mercado mais forte.

Um beijo, tchau!

dez 5, 2018

As etapas que definem o crescimento de uma empresa

Opa, tudo bom?

Um dos benefícios de ser inspirada é observar no outro uma série de etapas que fizeram aquela pessoa ou instituição chegar na sua atual situação.

E isso não só basta observar superficialmente como aquela empreendedora está neste momento ou o que aquele business faz atualmente…

É importante olharmos mais a fundo que etapas foram vencidas para que aquele estado tenha te inspirado tanto.

Até porque, as coisas não se transformam assim tão rápido, não é mesmo?

E falando em etapas, inspiração e empreendimentos, a gente também tem um certo padrão, uma série de etapas que define o crescimento de uma empresa.

E aqui eu vou explicar estas etapas que definem o crescimento de uma empresa.

#1 – SUA PRESENÇA

A primeira etapa do crescimento de uma empresa se define, superficialmente na figura da empreendedora, mas pode ser que tenha 1 ou 2 sócios.

O empreendimento consiste no início daquela ideia incrível que teve. É a inspiração se tornando real.

Aqui a paixão está à mil, a busca por uma cartela consistente de cliente é alta e pouco se sabe sobre o futuro. São apenas descobertas que irão clareando sua visão.

Por não termos uma visão clara do futuro, a gente só vai saber na prática se o caminho feito foi certo. Então, aproveite seu início para focar nas VENDAS.

Aparências e tecnologia são adquiridas depois que seu início está estabilizado.

Não tenha medo de mudar logo no início. É normal isto acontecer! Ajuste seu público-alvo, o posicionamento do seu empreendimento, o produto, como vende, onde vende. Experimente até acertar.

Com um bom começo, um bom faturamento virá.

#2 – SEU DESAFIO

Nesta etapa, você encontra uma empreendedora com uma alta margem de lucro e muito trabalho.

Suas vendas estão indo muito bem e, consequentemente, você vai precisar formar uma equipe e delegar tarefas.

As dúvidas e inseguranças virão, esteja certa disto.

Mas lembre-se de que:

  • Você tem certa estabilidade no fluxo de caixa;
  • O desafio te mostra novos caminhos;
  • Sua inspiração também passou por isso. Você também consegue.

Como falei dos desafios como caminhos, por onde seguir?

  • Desenvolva sua capacidade de gestão;
  • Aprenda a delegar tarefas, contratar, controlar e motivar equipes;
  • Organize o caos.

 

#3 – SEU AVANÇO

Seu empreendimento está em crescimento e é prazeroso ver seu sonho avançando em comparação com outras empresas.

É provável que você se encontre como inspiração para outras mulheres empreendedoras.

Bom, essas mulheres inspiradas não estão na sua pele. O avanço requer aprendizado. O aprendizado requer desafios. Serão muitos nesta etapa.

Você está vendendo muito bem, mas não consegue entregar uma boa experiência pós-venda. Sua equipe ainda não está alinhada ou ainda não possui pessoal suficiente pra entregar.

Várias pessoas entram e saem da sua empresa, suas decisões são muito mais delicadas, é difícil encontrar profissionais qualificados, você encontrará alguns custos exagerados.

Sim, será estressante. Mas serão vivências que você pode desenvolver:

  • Sua capacidade de gestão de pessoas e financeira;
  • A organização, cultura e processos da sua empresa (MUITO IMPORTANTE);
  • Seu mindset como empreendedora.

É como se você encontrasse um chefão de um game que parece que qualquer deslize fará com que você perca o jogo. Mas lembre-se de que você ainda pode contratar pessoas boas, com tempo para isso. Mais importante que o final do caminho, é com quem você vai caminhar.

#4 – SEU CONHECIMENTO

Aqui eu defini esta etapa do crescimento de uma empresa como conhecimento porque você passou da fase do aprendizado, dos desafios, e isto irá gerar conhecimento para você e sua equipe.

O interessante do conhecimento é que assim é possível transformar mais o que está dentro do que está fora. E esta é a questão desta etapa.

Você terá pouco tempo disponível para contratar pessoas. Pelo contrário, você verá uma necessidade maior de pôr mais produtos em oferta e mais pessoas para colaborar.

Lembra que eu falei em um dos pontos da etapa #3 que a organização, cultura e processos da sua empresa são muito importantes? Lembra que eu falei agora que a vantagem do conhecimento é transformar ainda mais o que está dentro?

Então. Neste momento você poderá encontrar regras, processos e mecanismos que atrasam a atividade interna.

Coisas que não foram questionadas, transformadas, melhoradas, por conta da loucura que era a etapa do avanço.

Neste momento, com conhecimento, você e sua equipe podem flexibilizar, agilizar e construir processos, organizações e culturas mais inteligentes.

Se sua empresa já foi avançando desta forma, ótimo! Você pode focar a atenção em outros pontos.

Um exemplo é a decisão. Agora você terá que se embasar muito suas decisões em planejamentos estratégicos e informações relevantes.

Surgirão muitas oportunidades de parcerias e campanhas. Cabe a você dizer com sabedoria o NÃO para quem não está alinhado à estratégia do negócio.

Sobrarão as pessoas e grupos que são capazes de trabalhar de acordo com as diretrizes estratégicas.

Isto irá render um crescimento absurdamente alto!

#5 – SEU VÔO

Sua empresa está praticamente funcionando sozinha e parcerias e contratos milionários estão sendo feitos.

Apesar deste avanço todo, qualquer erro pode gerar também quedas imensas. Não esqueça que você está em vôo.

Ainda é muito importante manter uma boa cultura organizacional, processos eficientes e visão alinhada ao planejamento estratégico da empresa.

No entanto, você e suas sociais se encontrarão com a paixão pelo empreendimento mais fraca e o dilema entre vender a empresa e continuar baterá a sua porta.

Independente das escolhas feitas, tenha muita clareza e embasamento para as suas decisões.

Bom, espero que tenha gostado deste conteúdo! São informações que podem ajudar você a organizar sua mente nas diferentes fases da carreira empreendedora.

Conhece alguém que esteja em alguma destas etapas? Compartilha pra ela e ajude-a também a ser uma pessoa que inspira.

Um beijo, tchau!

nov 16, 2018

Slow Fashion: Nossa relação com a vestimenta se transformou.

Opa, tudo bom?

A nossa relação com a vestimenta tem se transformado, assim como muitos aspectos da sociedade. Num paralelo com avanços tecnológicos, a moda se inseriu em um quadro de mudanças na forma de pensar a vestimenta.

Com as novas possibilidades de comunicação, produção e consumo, vemos grandes empresas estabelecendo uma estrutura de consumo de moda rápida e descartável.

Mas o que pensar de nós, empreendedoras, que estamos com ideias, sonhos e conhecimento prontos para serem aplicados? É verdade que a forma de moda que citei, o Fast Fashion, não dá muita chance para a criação ou inovação.

É aí que entramos. O poder de escolha do consumidor e sua visão mais ampla da sua presença participativa da sociedade demanda para gente um modo de fazer moda que pense mais nas pessoas do que no consumo.

O Slow Fashion é um movimento relativamente recente que atraiu pessoas que questionavam a forma descartável que usamos roupas, sem levar uma autenticidade para quem usa. Conceitos como este, além da inovação, são fatores que proporcionam ao Slow Fashion o espaço para pensar: O que a moda pode fazer realmente para contribuir com o mundo?

É por isso que alguns empreendimentos investem no design, no fator criativo e na economia sustentável para criar soluções reais para o uso de roupas na vida cotidiana das pessoas. Nós não queremos só ficar lindas. Queremos ficar lindas, autenticas, confortáveis e engajadas em nosso espaço.

Então, porque não reinventarmos a moda que conhecemos e investir nossas necessidades, desejos e soluções reais no mercado?

O Slow Fashion surgiu com este intuito. O fator humano é ponto principal do movimento, onde a atenção é voltada para a humanização da cadeia de produção e de consumo. Costureiras e Costureiros são reconhecidos em suas produções, criativos pensam em todos os aspectos da vida do consumidor para gerar uma real identificação com sua marca, o consumo é revisto no âmbito individual, como construção de identidade, e no âmbito coletivo, como ação de transformação da sociedade.

Este é um mercado que ganhou força nos últimos tempos, merece um olhar atento para quem busca empreender na área ou já é atuante. Há diversos parceiros que podem acrescentar ao Slow Fashion e você pode ser mais uma agente do movimento que visa quebrar padrões nocivos do mercado da moda.

Espero muito que tenha gostado destes insights e que possa contribuir com sua caminhada empreendedora. Compartilhe este texto com todos que acharem importante e não deixe de comentar aqui ou nas plataformas sociais a sua sugestão, ideias, críticas e mensagens.

Se quiserem que eu fale mais sobre o assunto, comentem lá no insta!

Um beijo, tchau!

nov 9, 2018

Intensivo para a sua carreira empreendedora: Conheça a SGE

Opa, tudo bom?

Hoje eu vim compartilhar com vocês uma dica incrível para quem busca um intensivo para a sua carreira empreendedora. Tenho certeza que você vai gostar!

Por mais de 10 anos estou na carreira empreendedora e durante este tempo tive muitos parceiros, mentoras e oportunidades de negócios através de conteúdo relevante trocado por pessoas e empresas. Mas este é um dos grandes momentos que aguardamos chegar, ansiosamente.

Eu estou falando da Semana Global do Empreendedorismo.

Em diversos pontos do mundo são produzidos eventos, palestras e atividades que abordam o empreendedorismo e suas mais variadas questões, como o empreendedorismo feminino por exemplo.

Durante a semana do dia 12 até o dia 18 de novembro, teremos aqui no Brasil muitas atividades que visam capacitar tecnicamente e também na prática pessoas que se interessam pelo assunto, que querem começar a carreira ou já possuem uma carreira empreendedora e querem se atualizar. Para todo mundo há uma chance de se desenvolver!

E é claro que o #elasonhaelafaz não ia ficar de fora, não é mesmo?

Durante a semana do dia 12 a 18 de novembro teremos vídeos no canal TODOS OS DIAS! Além disso, você vai encontrar aqui no blog assuntos mais especializados, no perfil do Instagram teremos dicas e insights para motivar sua semana e avançar ainda mais para a realização dos seus objetivos.

Serão dias importantes que daremos uma atenção ainda mais especial para você que, assim como eu, encontrou sua paixão no empreendedorismo! Até mesmo você, que ainda pretende mergulhar de cabeça nos seus projetos empreendedores, mas não se encontrou por completo, você também terá espaço aqui e nas outras plataformas para se descobrir e trabalhar de acordo com suas paixões e sentir que realmente está agindo para transformar o mercado e a vida das pessoas.

Acompanhe as plataformas para se informar, conseguir insights, se desenvolver e também participar com experiências, sugestões, dúvidas e com seu conhecimento. Vai ser um ótimo intensivo para a sua carreira empreendedora. Tenho certeza que serão dias inspiradores!

E aí, vamos com tudo?!

Um beijo, tchau!

Quer saber mais sobre o SGE? Entra aqui.

 

out 31, 2018

Planejando o desenvolvimento do seu negócio: Comece já!

Opa, tudo bom?

Vou começar te perguntando: Qual vai ser o plano do seu próximo ano novo? Carnaval, já deve ter pensado, não é mesmo?

Imagino que sim. Em algum momento da vida você planejou uma viagem, um evento, seu ano novo. Então porque você acha que não deve planejar o desenvolvimento do seu negócio? Já pensou nisso?

Bom, é claro que pode passar pela sua cabeça, as limitações que você imagina existir para montar um plano de negócio. Então eu vim aqui para auxiliar você a colocar em prática o planejamento de negócio. Como o assunto é bem grande, aqui será uma introdução ao assunto. Vou mostrar que você consegue elaborar este plano e será importantíssimo para o futuro da sua carreira. Vamos lá?

Primeiro, vamos entender os motivos pelo qual você deve começar a planejar o desenvolvimento do seu negócio.

Bom, você já deve ter visto eu falar aqui ou no meu canal que sonhar é bom, mas que realizar é ainda melhor. Essa é minha bandeira da vida! Mas ó, não vá pensando que SÓ realizar já basta. Eu também planejo, pesquiso, analiso, para então realizar. Lembre-se de que é a sua carreira e seu investimento que está em jogo.

Então, para que você não descubra na prática que você está fazendo algo errado, nem se perca nas suas tarefas e objetivos, o plano de negócios tá aí! Com este documento, você monta no papel todas as partes que formam o seu negócio. Assim, você diminui as incertezas, tem uma trilha mais definida para seguir e consegue responder dúvidas como “será que este negócio é viável? ”

Um ponto importante é que um plano de negócios não é um caminho imutável, pelo contrário. Haverá momentos em que o planejado será diferente do real. Portanto, é importante que você tenha contato com seu plano no futuro, para que você entenda melhor que mudanças realizar, sem fugir muito do caminho.

Entendendo a estrutura do plano de negócios

Sabendo o que você precisa para montar este documento já fica mais fácil para começar, não é mesmo? Então, o plano de negócios se constitui dessa forma, geralmente:

  • Sumário Executivo
  • Pesquisa de Mercado
  • Plano de Marketing
  • Plano Operacional
  • Plano Financeiro
  • Plano de crise
  • Avaliação estratégica

 

Aqui nós vamos passar resumidamente em cada tópico para que você entenda as partes que envolvem o plano de negócio e tudo que você deve gerenciar daqui pra frente. Parece trabalhoso, e é! Mas a organização deixa tudo mais objetivo e melhor para lidar. Tenha tempo e dedicação para construir este plano, pois será seu guia daqui pra frente, como mencionei antes, e também será a porta para conquistar investidores, já que é indispensável o plano de negócios para captar recursos.

Sumário Executivo

A primeira parte do plano é mais um resumo do plano todo. Para fins de consulta rápida ou apresentação para investidores, é importante ter um sumário executivo bem formado para deixar todo o conceito do negócio bem amarrado. Por isso, é aconselhável que você produza esta parte por último, para que não aja divergências de informações. Dentro do Sumário Executivo você vai encontrar:

  1. Resumo dos principais pontos do plano de negócio
  2. Dados dos empreendedores, experiência profissional e atribuições
  3. Dados do empreendimento
  4. Missão da empresa
  5. Setores de atividades
  6. Forma jurídica
  7. Enquadramento tributário
  8. Capital social
  9. Fonte de recursos.

Hoje dá para encontrar de forma bem didática cada parte do sumário executivo. Não é difícil produzir esta parte, na verdade é bem fácil. No entanto, você precisa ter todo o restante do plano de negócios bem estruturado para poder montar seu sumário executivo corretamente.

Análise de Mercado

Esta etapa consiste na coleta e tratamento de informações que deem base para justificar seu plano de negócios. Eu falei sobre Pesquisa de Mercado neste texto e pode te ajudar bastante! No caso do plano de negócios, devemos também pesquisar e analisar dados importantes de concorrentes e fornecedores, além dos clientes.

Plano de Marketing

O Plano de Marketing consiste na construção teórica dos 4 pontos básicos de Marketing, que são o produto, preço, promoção e praça, que também é chamado de 4P’s de Marketing. Para cada ponto, você deve estruturar o que vai ser real, dentro das diretrizes da empresa, como missão, setor de atividade, etc.

Plano Operacional

Como o nome já indica, nesta parte vamos estabelecer como o seu negócio vai operar. Isso inclui o espaço e como vai se dispor, a capacidade de produzir e atender, mensurar a quantidade de recursos humanos e como será feita a operação, a atividade do negócio.

Plano Financeiro

No final, é isso aqui que vai importar para os investidores. Caso você escolha buscar investimentos externos, é importante deixar esta etapa muito bem estruturada. Uma série de sub tópicos serão necessários para organizar a forma que você planejou seu negócio:

  1. Investimento total
  2. Estimativa dos investimentos fixos
  3. Capital de giro
  4. Investimentos pré-operacionais
  5. Resumo do investimento total
  6. Projeção de faturamento mensal
  7. Projeção de custo
  8. Projeção de custos comerciais
  9. Apuração dos custos dos materiais diretos e/ou mercadorias vendidas
  10. Estimativa de custo com mão de obra
  11. Projeção de custo com depreciação
  12. Projeção de custo fixo operacional mensal
  13. Demonstrativo de resultados
  14. Indicadores de viabilidade
  15. Lucro
  16. Rentabilidade
  17. Prazo de retorno do investimento

 

É claro que você não precisa fazer exatamente como eu deixei aqui exemplificado. Você pode unir alguns tópicos que possuem mais ou menos o mesmo sentido. Aqui eu quis mostrar para você o que envolve o financeiro do seu plano de negócios.

Plano de crise

O plano de crise é uma etapa que vai demonstrar para você mesma e para os outros a maturidade para lidar com uma carreira empreendedora. Nesta parte, vamos simular situações negativas e também positivas para planejar também alternativas de ação para contornar de forma mais ágil e organizada uma possível concretização destas situações. Esta etapa pode te dar uma segurança maior para começar a colocar em prática seu negócio, já que você tem cartas na manga caso ocorra alguma coisa.

Avaliação Estratégica

Aqui nós vamos observar de forma analítica, baseado no Marketing, a fim de tornar sua empresa mais competitiva. Nós vamos utilizar a matriz de análise F.O.F.A (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças), na versão em português, ou SWOT na versão americana. Eu já falei sobre isso neste texto, vai esclarecer bastante caso não conheça ainda esta matriz de análise.

Se você chegou até aqui, tem minha admiração! Tenho certeza que você vai estudar e praticar, para que comece a construir seu negócio com muito mais segurança e objetividade.

Montei este texto com muito carinho e espero que tenha ajudado! Não deixe de compartilhar este conteúdo para que mais pessoas possam começar seu empreendimento com mais firmeza. Comenta aqui o que achou!

Um beijo, tchau!